fbpx

De cactos à samambaias: 8 plantas para interiores

A vida nas cidades muitas vezes afasta as pessoas da natureza. Hoje, existem muitos que moram e trabalham dentro de edifícios.

Nesse cenário, as plantas são uma alternativa para trazer biofilia aos interiores. Elas permitem o contato e a interação com a natureza, ainda que em pequena escala.

É importante lembrar, contudo, que as plantas são seres vivos. Deste modo, necessitam de nutrientes e cuidados para sobreviver.

As plantas fazem fotossíntese, crescem e se reproduzem. Elas não são apenas um item de decoração. Se você adquire uma planta, deve tomar alguns cuidados para que ela permaneça viva e bonita.

Por isso, é importante escolher espécies que se adaptam bem a ambientes internos.

Neste artigo, vamos mostrar as vantagens e desvantagens de ter plantas em casa.

Trouxemos também 8 sugestões de espécies para interiores, com os seus devidos cuidados necessários.

Vantagens e desvantagens de ter plantas em interiores

Antes de transformar sua casa em uma “selva” de plantas, preste atenção nas vantagens e desvantagens.

Vantagens:

  • Reduz a ansiedade

As plantas são ótimas aliadas no relaxamento. Consequentemente, aliviam o estresse e a ansiedade. A natureza está intimamente ligada ao tratamento da saúde mental.

  • Purificam o ar

As plantas, ainda que em pequena escala, ajudam a purificar o ar dos ambientes. Isso porque elas “respiram” o gás carbônico e liberam oxigênio para a nossa respiração.

  • Fornecem alimento

As plantas também são fonte de alimento, temperos e ervas medicinais. Confira neste artigo como ter uma horta em sua casa.

Como as plantas se reproduzem, elas são praticamente uma fonte infinita de nutrientes. É possível cultivar aquele tempero ou chá que você gosta em casa, sem precisar comprar cada vez.

  • Embelezam a casa

Cada vez mais, as pessoas estão utilizando plantas para decorar a casa.

A decoração é sempre uma questão muito pessoal. Contudo, existem muitas plantas que podem se adaptar a distintos gostos e estilos.

Mas nem tudo são flores…

Desvantagens:

  • Exigem cuidados diários

Para que as plantas cresçam bem, elas precisam ficar em ambientes adequados. Dependendo da espécie, vai precisar de mais sol ou mais sombra. De regas frequentes ou de pouca água.

Se você ficar muitos dias longe de casa, pode ser que alguma não sobreviva. Tenha isso em mente no momento de escolher as suas espécies.

  • Podem apresentar risco para crianças e animais

Muito cuidado com plantas como o cacto, rosas e outras plantas com espinhos ou tóxicas. Em geral, essas espécies devem ser mantidas longe de espaços com muita circulação. E, principalmente, elas devem estar fora do alcance de crianças e animais.

Por esses e outros motivos, é importante conhecer as plantas antes de colocá-las nos ambientes.

Acompanhe a seguir algumas sugestões de plantas que se adaptam a ambientes internos.

Cacto

Plantas interiores

O cacto é uma planta nativa de regiões secas e desérticas. Por esse motivo, é uma espécie que precisa de bastante sol e pouca água.

Se você regar demais um cacto, ele pode morrer “afogado”, isto é, pela hidratação excessiva. Geralmente um pouco de água uma vez por semana já é o suficiente.

Quanto mais sol incidir no cacto, mais ele irá crescer. Ele é uma ótima planta para jardins de inverno e decoração, já que precisa de poucos cuidados.

Samambaia

As samambaias são muito amadas por serem grandes e volumosas, dando um efeito especial à decoração. Não à toa, é uma das plantas mais vendidas no Brasil. Porém, elas são plantas bem exigentes.

Como são naturais de climas úmidos, elas precisam de bastante água para manter suas folhas verdes e firmes. Além de regar a terra, é importante jorrar água ao longo de suas folhas para hidratar.

A samambaia gosta de ambiente iluminados, mas sem luz do sol direta.

Lírio da paz

Plantas interiores

O lírio da paz possui uma flor branca, é atribuído à paz e também como planta purificadora de ar.

Ele cresce muito bem em ambientes de iluminação indireta. A luz do sol direta pode prejudicar sua folhagem. É importante manter a terra úmida e rica em nutrientes.

Espada de São Jorge

Pode ser considerada uma “praga” por alguns. Essa planta cresce em praticamente qualquer lugar. Terrenos arenosos, secos, com muita ou pouca incidência de sol.

Isso é um indício de que ela não precisa de muitos cuidados, tampouco de um ambiente específico. A espécie pode sobreviver muito bem em locais internos com iluminação artificial, por exemplo.

Suas raízes crescem e podem dar origem a outras plantas no mesmo vaso. Por isso, é interessante remover as partes novas de tempos em tempos. Caso contrário, ela pode ficar grande demais e estragar o vaso.

Jade

Essa planta forma um arbusto de forma similar a uma árvore. Possui floração branca ou rosa, que surge principalmente na primavera ou no inverno.

Ela pode ser regada apenas uma vez por semana, e prefere lugares bem iluminados.

Suculentas

Existem diversas espécies de suculentas. Elas são plantas menores e ornamentais, que podem ficar sozinhas ou combinadas com outras em vasos maiores.

Em geral, elas não precisam de muita água, que pode acabar apodrecendo suas raízes. Mantê-las em locais com luz indireta e regando uma vez por semana é o ideal.

Pacová

Suas folhas são grandes, brilhantes e ovais. Por esse motivo, é uma planta bastante usada na decoração.

Também conhecida como babosa-de-pau, a planta é de origem brasileira. Ela sobrevive bem em climas quentes, em meia sombra e em vasos com solo úmido.

Dracena

Com caule comprido e folhas ornamentais de diferentes tons, essa planta pode atingir até 2 ou 3 metros. Portanto, é ideal para decorar ambientes de maior escala.

A dracena não necessita de luz direta do sol, mas se desenvolve muito bem próxima às janelas. Deve ser regada de duas a três vezes por semana.

Dicas importantes

Como o habitat de todas as plantas é a natureza, é interessante observar qual o clima nativo de cada espécie.

Plantas de climas tropicais são acostumadas com solos úmidos e sombra de árvores robustas. Por isso, se adaptam bem em locais com luz indireta e precisam de regas frequentes.

Já as plantas nativas de climas áridos, como o cacto ou as suculentas, são adaptadas a solos secos, temperaturas variáveis e luz do sol. Por isso, não exigem muita água e gostam de locais iluminados.

Geralmente, a planta vai dar sinais de suas necessidades. Para saber quando deve regar, confira se o solo está úmido o suficiente. Se as folhas estiverem secas ou amareladas, pode ser sinal de sol excessivo.

Cuide também com a drenagem dos vasos, eles devem ser furados embaixo.

E, principalmente, tome muito cuidado para não deixar água parada. Isso pode contribuir para a proliferação de agentes transmissores de doenças, como a dengue.

Após conhecer essas opções, você já está preparado para ir à floricultura escolher as melhores espécies para a sua casa.

janeiro 7, 2021
© 2018 UGREEN