fbpx

 

A Importância da Iluminação Natural

A iluminação solar, também conhecida como iluminação natural, sempre fez parte do dia a dia do ser humano, tanto para ditar o ritmo de vida (ciclos circadianos) quanto para estabelecer o conceito de tempo para a sociedade. No entanto, há cerca de dois séculos, a presença da iluminação artificial substituiu as grandes janelas e espaços abertos, tendo como alternativa o uso de lâmpadas em tempo integral.

Embora essa tecnologia tenha oferecido maior liberdade ao homem, não consegue oferecer os mesmos benefícios da luz natural, além de ocasionar aquecimento do espaço e ter um valor muito alto, tanto para uso quanto para manutenção. Diversas pesquisas indicam que a luz natural faz bem para a saúde, aumentando a disposição e, quando posta em ambientes de trabalho, aumentando também a produtividade.

As partículas de luz emitidas pela iluminação natural fazem com que o cérebro humano tenha uma percepção mais ampla sobre o ambiente, o que é ideal para ambientes comerciais e espaços de trabalho. O uso da iluminação natural, além de financeiramente viável é, portanto, uma excelente estratégia de marketing.

Por Que Valorizar o Uso da Luz Natural em Edificações?

Com isso em mente, o arquiteto deve analisar as possibilidades de inserção da luz natural em seu projeto. Ao permitir a entrada de luz solar, haverá diretamente uma economia do uso de energia elétrica, tanto pela redução de luzes artificiais quanto pelo uso do ar condicionado, uma vez que a iluminação natural não gera calor quanto lâmpadas comuns.

Além disso, o uso da energia solar, seja através de painéis coletores de energia ou na substituição de lâmpadas, é uma atitude ecologicamente correta e proporciona um ambiente mais confortável e saudável.

O Brasil, por exemplo, é um país com alta incidência solar, logo, cabe aos arquitetos e designers aproveitar tal oportunidade e gerar ambientes diferenciados que integram as vantagens de sua localização no globo com o bem estar daqueles que habitarão o espaço em questão.

Estratégias de Projeto e Alternativas à Iluminação Artificial

O grande truque para valorizar a iluminação natural está em manipular a entrada da luz de modo a fazer com que a mesma alcance uma maior profundidade sem perder sua intensidade. Nesse caso, o arquiteto deve analisar as dimensões do espaço e optar entre o uso de materiais refletores e absorventes de luz, para que a luz seja difundida de forma equilibrada, ou então realizar alterações estruturais, como modificações em janelas e paredes.

O vidro também faz diferença no dia a dia, pois é através dele que a luz chegará ao ambiente. Em locais com alta incidência solar podem ser utilizados vidros difusos e que diminuem a intensidade da iluminação. Também há a possibilidade do uso de Clerestory Windows, painéis refletores, claraboias e prateleiras refletoras, mas de nada adianta instalações modernas e sustentáveis sem a conscientização adequada dos usuários. Portanto, é preciso ensinar o uso adequado da iluminação artificial ou automatizar o processo através de sensores.

Para ter certeza acerca do projeto, o arquiteto pode simular com programas e cálculos, o nível de incidência solar em cada espaço, verificando quais materiais são mais viáveis para a obra e encontrando soluções para otimizar o espaço sem perder o estilo.

No próximo vídeo vamos entrar mais a fundo sobre as qualidades da iluminação natural. Vamos falar sobre alguns estudos recentes que falam no benefício para as vendas em lojas e o porque que isso acontece.

OUTROS VÍDEOS DA SÉRIE:

Vídeo 2- luminação Natural = Vender, vender e vender

Vídeo 3- Iluminação Natural – Como Aplicar com Consistência em Projeto?

Vídeo 4 – Elementos Para a Iluminação Natural na Arquitetura

LEITURA COMPLEMENTAR:

www.infoescola.com/fisiologia/ritmos-circadianos

© 2018 UGREEN