fbpx

Você sabia que a poluição sonora é um problema enfrentado, em sua maioria, por pessoas que vivem em grandes cidades?  Isso porque, quanto maior a metrópole, mais elevado é o grau de ruídos que podem ser percebidos. 

Neste contexto, surgiu a premência de garantir que as pessoas não sofressem os efeitos colaterais deste incômodo. 

Pensando em oferecer uma solução para esta questão, foram estabelecidas algumas diretrizes relacionadas ao tema, que podem ser encontradas na norma de desempenho 15575 e são de cumprimento obrigatório por parte das incorporadoras, arquitetos e engenheiros.

Gostaria de saber mais sobre o assunto? Continue esta leitura e entenda a relação da poluição sonora e a norma de desempenho.

Poluição sonora e o contexto urbano 

A poluição sonora é uma realidade dos tempos atuais, um fenômeno que deu-se, sobretudo, devido ao rápido crescimento das cidades.  

Na história, com o surgimento das indústrias, as pessoas começaram a migrar para perto das fábricas. O objetivo era estar próximo ao local de trabalho, evitando assim o deslocamento de grandes distâncias. Porém, com essa atitude, vieram algumas consequências. Entre elas, a poluição sonora.

Este acontecimento forma uma cadeia, onde uma coisa leva à outra e todas levam ao mesmo destino: o excesso de barulho. Para abarcar o crescente deslocamento de pessoas para trabalhar nas indústrias, foi preciso criar terminais rodoviários ou rodoferroviários. Estas estações são grandes fontes de elevados ruídos. 

As pessoas que optaram por viver mais perto do trabalho, criaram assentamentos ou vilas. Estes locais, não sendo planejados adequadamente, fazem com que as casas não possuam distância suficiente entre uma moradia e outra. 

Além disso, as edificações, muitas vezes construídas sem nenhum conhecimento técnico, acabam por não oferecer isolamento acústico. Ou seja, o barulho provocado pela rotina de uma família acaba invadindo a residência de outra família, causando incômodo. 

Ao somar a acústica criada pela convergência de todos estes sons, tem-se a poluição sonora.

A construção de novas edificações para suprir as demandas de moradia, devido justamente ao alto volume de pessoas, também compõe o quadro de poluição sonora. Britadeiras, betoneiras e demais equipamentos empregados nas obras acabam com a tranquilidade em seus entornos.

Refletindo mais detidamente sobre este contexto, percebemos que a poluição sonora já era presente, mesmo sem os adventos da tecnologia. Mas a criação de alguns itens modernos piorou ainda mais o quadro. Por exemplo: os rádios mais potentes, a utilização de aparelhos de ar-condicionado e lavadoras de alta pressão.

Poluição sonora X Norma de desempenho 15575

Para acelerar o desenvolvimento no segmento imobiliário, muitas casas populares foram construídas. Porém, o preço acessível é fruto de uma economia nem um pouco proveitosa: materiais mais baratos, além de paredes e lajes de espessuras muito finas. Sem falar na negligência de outros aspectos que também influem no conforto acústico.

Observando estas falhas, notou-se a urgência de ter uma norma que obrigasse o setor da construção residencial a oferecer qualidade nas edificações. A NBR 15575, criada especialmente para garantir que os usuários das edificações tenham conforto e segurança preservados, foi a escolhida. 

Nela, estão contidas diversas diretrizes relacionadas aos mais variados temas, que se relacionam ao bem estar dos moradores. 

Entre as questões abrangidas pela norma está justamente o desempenho acústico, que visa reduzir os impactos da poluição sonora na rotina dos moradores. 

Os parâmetros da NBR 15575 abrangem questões relacionadas a:

  • Atendimento ao critério de vedações e coberturas
  • Isolamento das vedações externas
  • Isolamento entre ambientes
  • Ruídos de impacto.

A norma determina que devem ser alcançados os níveis mínimos para cada um destes tópicos para que a edificação possa atender aos critérios de desempenho acústico.

Fator crítico nas construções

No contexto atual, é preciso admitir que a poluição sonora é um fator crítico que deve ser considerado na hora de construir as moradias. Afinal, é preciso conviver com esta realidade,   buscando formas de atenuar seus impactos negativos na rotina das pessoas. 

É preciso lembrar, também, o quanto o excesso de barulho é prejudicial à saúde física e mental. E nosso objetivo, como arquitetos, é oferecer residências que garantam o bem-estar e saúde dos moradores. Para isso, observar e seguir as orientações da NBR 15575 é fundamental.

Quer entender melhor sobre o desempenho acústico e como tratar este tema na arquitetura? Confira nossos cursos e assine a newsletter para ficar por dentro das novidades sobre este assunto. 

agosto 16, 2019
© 2018 UGREEN