fbpx

Os 3 passos para uma construção autossuficiente

Você sabe o que é uma construção autossuficiente?

Já pensou não precisar comprar alimentos no mercado? E nem pagar contas de água ou energia?

Antigamente isso era bastante normal. Antes do surgimento das cidades, cada residência era responsável por seu sustento. A única saída era ser autossuficiente.

Com o surgimento das cidades, várias pessoas passaram a compartilhar do mesmo espaço. Ao mesmo tempo, o fornecimento de água, alimento e energia foi setorizado.

Hoje nós dependemos da infraestrutura da cidade. É a cidade que providencia energia e água para nossas casas.

Porém, em busca de ter maior independência, muitas pessoas estão buscando construir casas autossuficientes.

1. O que é uma casa autossuficiente

Ser autossuficiente significa não depender de nada externo.

Imagine uma casa normal. Ela precisa ser alimentada com insumos que vem de fora para que você viva nela. A água e a energia geralmente são fornecidas pela prefeitura. Já os alimentos, você traz do mercado ou da feira.

Ao mesmo tempo, você devolve tudo para a cidade em forma de resíduo. Como o lixo e o esgoto. Essa cadeia não é sustentável.

A consequência é escassez de água potável e combustíveis fósseis no mundo inteiro. Esses recursos estão se esgotando em um ritmo muito acelerado. E as cidades têm uma grande parcela dessa responsabilidade.

Casas autossustentáveis utilizam a água de chuva, o sol, os ventos e as plantas de maneira inteligente. A questão não é o estilo construtivo. Mas sim, uma arquitetura pensada para coletar todos os recursos disponíveis.

Assim, é possível depender menos do da infraestrutura da cidade. Por consequência, você ainda economiza dinheiro.

É muito difícil ter uma casa completamente autossustentável. Mas elas existem, você verá um exemplo no final deste artigo.

Fique tranquilo, existem alternativas para tornar a sua casa mais autossuficiente. Mesmo que ela já esteja construída.

A seguir você aprenderá algumas estratégias para aplicar na sua casa.

São três aspectos pelos quais uma casa pode ser autossuficiente: energia, água e alimentos.

2. Autossuficiência de energia

Existem casas capazes de produzir toda a energia que consomem. Também existem casas que produzem mais do que consomem. Nesse último caso, algumas conseguem vender esse excedente para a cidade.

Se você quer ter uma casa autossuficiente de energia, precisa observar alguns itens:

  • Recursos disponíveis em sua região

Analisar a insolação e os ventos do lugar onde você mora é o primeiro passo.

  • Equipamentos e serviços acessíveis

As tecnologias para gerar energia de fontes renováveis ainda são novas. Principalmente em pequenas escalas, como para uma casa.

Por esse motivo, pode ser que na sua cidade não haja fornecedores dos equipamentos necessários. Ou mesmo mão de obra especializada.

É importante verificar o que há disponível em sua região.

Exitem três principais maneiras principais de gerar energia em uma casa ou edifício.

  • Energia Solar

Essa é maneira mais comum de captar energia em residências. São instaladas placas solares na cobertura da casa.

autossuficiente

Exemplo de telhado com placas solares. (Fonte: g1.globo.com)

Antes de fazer a instalação das placas, é importante observar a carta solar da cidade. A carta solar irá mostrar qual a direção que recebe mais insolação.

O sol esquenta essas placas. E esse calor, então, é transformado em energia.

Você pode utilizar placas solares para gerar energia, ou somente para aquecer a água.

  • Energia eólica

Hoje já existem geradores de energia eólica em pequena escala.

autossuficiente

Gerador de energia eólico em condomínio de Florianópolis, SC (Fonte: revista.zapimoveis.com.br)

Para que esses geradores forneçam energia, suas turbinas precisam se movimentar. Em locais de ventos muito intensos, o movimento das turbinas pode causar ruído.

Por isso, é necessário ficar atendo ao local de instalação dessas usinas.

  • Biogás

O biogás é produzido a partir da decomposição de matéria orgânica. Esse gás pode ser transformado em energia elétrica.

Exatamente, você pode transformar o seu lixo orgânico em energia.

autossuficiente

Biodigestor em escala residencial. (Fonte: biomassabioenergia.com.br)

Os biodigestores são mais eficientes quando utilizados em comunidade. Assim, obtém-se mais eficiência para gerar boas quantidades de energia elétrica.

É incrível perceber como temos os recursos necessários para gerar energia para nossa casa, não é?

O próximo recurso abundante que podemos aproveitar é a água da chuva.

3. Autossuficiência de água

Um sistema de captação de água da chuva pode ser responsável por grandes economias de água. A autossuficiência vai depender muito do regime de chuvas da sua região, mas também é possível.

Para recolher a água da chuva, é necessário encaminhar a água que cai no telhado para uma cisterna.

A partir da cisterna, há duas opções:

  • Utilizar a água da chuva para jardim, limpeza e descargas.
  • Tratar e transformar em água potável para todas as funções da casa.

Por mais que possa parecer, a água da chuva não é potável. E principalmente depois de cair no telhado, ela fica bastante suja.

Portanto, se a intenção for utilizar a água da chuva na casa inteira, ela precisa ser tratada primeiro.

A instalação desses sistemas possa ter um custo inicial alto. Mas a longo prazo, a economia de água e energia compensam.

Além disso, você estará consciente que consome recursos de fontes renováveis.

O próximo item é o mais difícil de alcançar autossuficiência. Principalmente se você mora em uma zona urbana.

4. Autossuficiência de alimento

O cultivo de alimentos exige bastante trabalho. É necessário dispor de bastante terra para que se consiga uma variedade de culturas. Por isso, é muito difícil que alguém produza todos os alimentos que consome.

Mas esse aspecto pode englobar uma região maior. Se pensarmos como cidade e comunidade, a logística fica mais fácil. Uma cidade autossustentável é também aquela que produz sua própria energia e alimento.

Hoje já existem vilas autossustentáveis. Nessas pequenas comunidades, as pessoas compartilham entre si suas produções.

5. Exemplo de comunidade autossustentável.

Michael Reynolds é um arquiteto que constrói residências autossustentáveis. Ele ficou famoso por promover comunidades autossustentáveis no mundo inteiro.

O documentário “Garbage Warrior” conta sua trajetória. Ele desafiou as autoridades com seus projetos. O arquiteto construiu casas que não necessitavam de fornecimento de energia ou água.

Um exemplo é a casa “Nave Terra”, construída na Argentina.

Nave Terra, construção autossustentável de Michael Reynolds. (Fonte: Archdaily)

Essa residência foi construída com materiais recicláveis, como pneus, latas e garrafas plásticas e de vidro.

A massa térmica da casa permite que ela mantenha uma temperatura agradável. Durante todo o ano, a casa oscila entre 18º e 22º C.

A construção também possui:

  • Coleta, filtragem e limpeza da água da chuva
  • Produção de frutas e verduras;
  • Abastecimento com energia eólica e solar.

Ou seja, ela possui todos os princípios de uma casa autossustentável.

Concluindo…

Pelo exemplo acima percebe-se que casas autossustentáveis são possíveis. Você precisa de um bom planejamento de acordo com o clima de sua região.

Também é possível transformar uma construção existente para que ela se torne mais autossustentável. Adotando algumas técnicas desse artigo você depende menos de recursos externos. Além de ser uma opção mais sustentável, você irá economizar dinheiro.

novembro 18, 2020
© 2018 UGREEN