ACESSO A BIBLIOTECA DE CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se e receba nossos ebooks e conteúdos periódicos

Net Zero Energia – Você sabe como viabilizar esse projeto?

No começo de maio fizemos um post sobre Edifício Net Zero. Caso este seja seu primeiro encontro com o termo, vale conferir.

Aqui neste artigo, nosso objetivo é detalhar as variadas definições do Edifício NetZero e como alcançar esse objetivo. Essa meta é viável para a maioria dos projetos, mas não é fácil. É necessário uma equipe comprometida em maximizar a eficiência do design e um investimento de menos de 10% sobre o valor total da obra.

O retorno financeiro se dá em uma média geral de 7 anos, podendo variar em um pouco mais ou menos de acordo com a tipologia de projeto.

Vamos iniciar nossa conversa apontando que:

  • 90% dos impactos ambientais que uma edificação exerce sobre o meio está atrelada ao uso de energia.
  • A vida útil de uma edificação gira em torno de 70 a 75 anos.

Olhando apenas esses números fica fácil entender o motivo de uma edificação sustentável, e principalmente eficiente, ser tão importante, devendo ser popularizada.

Nós, arquitetos e engenheiros, devemos assumir esse compromisso de forma mais séria e contundente. Aprendendo a administrar isso dentro de nossos projetos e junto a nossos clientes. Construir de forma equilibrada.

Equilíbrio

Essa é a palavra que melhor define um edifício NetZero. Esse equilíbrio deve ser alcançado em múltiplos aspectos – geração e destinação de resíduos, eficiência no uso da água e eficiência energética.  Hoje, no Brasil, o que vem sendo mais comercializado é NetZero Eficiência Energética no seu conceito mais básico: uma unidade de energia usada por uma produzida.

Contudo, NetZero pode ser muito mais se olharmos para a definição mais completa e já adotada em diversos países ao redor do mundo.  As definições abaixo foram publicadas pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos através do seu Laboratório de Energias Renováveis:

  • Net Zero Energia Local – A mais comum e utilizada das definições. Segundo ela, o prédio deve, dentro do período de um ano, produzir ao menos o mesmo tanto de energia que consumiu dentro da sua localidade.
  • Net Zero Fonte de Energia – Dentro desta definição, o prédio deve produzir em um ano a mesma quantidade de energia que consome, incluindo a quantidade de energia que é gasta trazendo e levando energia deste prédio a sua fonte externa de energia.
  • Net Zero Custo de Energia – Este modelo é baseado na troca monetária, ou seja, o valor que o edifício recebe pela energia gerada a partir de suas fontes próprias e inseridas na rede deve ser igual ao valor que o prédio paga pela energia que retira da rede ao longo do período de um ano.
  • E Net Zero Emissões da Energia– Neste caso o balanço se dá da seguinte forma: o edifício deve produzir, em quantidade de energias renováveis sem emissões, a mesma quantidade que utiliza de energias que geram emissões. Vale lembrar que o Brasil é predominantemente atendido por energia hidráulica que gera menos emissões que energia via combustíveis fósseis, o que é uma vantagem ao proprietário do edifício na hora do balanço.

Entendeu agora que o buraco é bem mais embaixo?

Com isso podemos reafirmar que no Brasil as edificações que se denominam NetZero não alcançaram esse objetivo em sua totalidade, zerando em todos os aspectos citados acima. Aliás, poucos prédios no mundo alcançaram essa façanha.

Isso é ruim…estamos sendo enganados?

De forma alguma. Os impactos que uma edificação causa no meio ambiente são tantos que zerar em apenas uma definição representa um progresso significativo para o desempenho da construção.

Se o prédio produzir no ano a mesma quantidade em energia que ele consome, seu desempenho aumenta em média entre 50%-70% em relação a uma edificação convencional. Além de se tornar uma edificação mais confiável e sustentável, comercialmente seu valor e visibilidade aumentam bastante.

Agora que já cobrimos a parte teórica da coisa e já estamos convencidos de que NetZero é um objetivo ótimo para se ter, vamos ao que realmente interessa.

Como chegar no objetivo NetZero?

Como sugerido no nosso post de maio, Eficiência deve ser a chave e critério fundamental do projeto desde o inicio. Não basta ser eficiente, precisa ser super eficiente. Itens como os citados abaixo devem ser estudados e desenvolvidos com muita cautela pelo time de projeto.

Maximizar no design

Isso quer dizer que devemos projetar para usufruir passivamente de tudo que o meio pode nos oferecer, orientando o prédio para melhor utilizar:

  • Ventilação cruzada;
  • Luz natural;
  • Sombreamento; e
  • Calor do sol.

Um estudo de orientação solar e dos ventos bem executado é determinante. Ele apontará os artifícios passivos que podem ser instalados como:

  • Tamanho, orientação e altura das janelas;
  • Tamanho do beiral do telhado;
  • Necessidade de sombreamento ou exposição ao sol;
  • Necessidade de prateleiras de luz;
  • Parede e telhado verde, etc.

A distribuição das cargas geradas por equipamentos e dos ocupantes por andar ou setor também podem contribuir. Pessoas  produzem calor e isso deve ser contabilizado no balanço geral dos cálculos. Para que se tenha uma ideia, um adulto produz  100 watts de calor em repouso e 500 watts praticando exercícios.

Envelope da Edificação

A escolha do envelope é importante para o conforto e isolamento térmico dos ambientes.

  • Verificar aberturas e vedações para evitar trocas de ar indesejadas;
  • Utilizar diferentes tipos de vidros para atender às diferentes necessidades de cada fachada;
  • Espessura e materiais que compõem as paredes também devem variar de acordo com cada fachada;
  • Tipo de tintas e absorção de calor que a cor escolhida possui; e
  • Revestimentos que possuam nanotecnologia para isolamento acústico e térmico.

 

Equipamentos

Equipamentos de alto desempenho devem ser especificados trazendo benefícios como:

  • baixa manutenção e
  • mínimo de energia na operação.

Só neste item já reduzimos perto de 50% da conta final. Procure equipamentos que possuam o selo Energy Star. Quando possível utilizar tecnologias que captam energia de forma passiva, como aquecimento solar de água.

Uso e Manutenção consciente

Existe vida após o projeto!

De nada serve um projeto desta complexidade sem os devidos cuidados. Os usuários e a equipe de manutenção devem entender as melhores práticas de gerenciamento para as medidas implantadas.

Medir uma edificação vazia com equipamentos zerados cheirando novo é fácil. Realmente o mais difícil é manter e, constantemente, otimizar os resultados alcançados. O Brasil está cheio de placas LEED empoeiradas, telhados verdes mortos e etc.

Essas dicas devem ser estudadas e aplicadas de forma consciente, além de bem programadas para durar todo ciclo de vida da Edificação.

E o Brasil está aonde com esse objetivo?

O Brasil está comprometido com a sustentabilidade. As metas brasileiras dentro do Acordo de Paris para com as emissões de carbono e geração de energia limpa são ambiciosas. Com isso acreditamos que os incentivos governamentais devem aumentar muito.

Após a aprovação da ANEEL em 2012, a micro e a mini geração crescem aceleradas e já produzem ótimos resultados.

Esse crescimento tende a continuar, barateando os sistemas e projetos. Edificações NetZero não são coisas de orçamento rico, elas estão cada dia mais viáveis para a maioria das construções novas e existentes.

Fevereiro 16, 2018

1 responses on "Net Zero energia em edificações: como viabilizar este projeto?"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2018 UGREEN