fbpx

Encontrar princípios de incêndio e combatê-los é uma atitude que pode evitar maiores catástrofes. Porém, para tanto, deve-se conhecer bem os tipos de combustíveis motivadores, para escolher a forma correta de fazer o combate. Além disso, é importante entender quando a melhor solução é chamar os bombeiros e deixar o local. Por isso a Ugreen preparou esse guia para te ajudar.

Atenção

Antes de procurar encontrar princípios de incêndio, você precisa observar se a altura do fogo não está muito elevada. Também é importante atentar para a fumaça: ela não deve impedir a visualização do foco ou dificultar sua respiração. Outro fator essencial é a temperatura ambiente, que deve estar suportável, permitindo sua permanência. Em caso contrário, o mais indicado é chamar o Corpo de Bombeiros e abandonar o local. Sua segurança deve estar em primeiro lugar.

Classes de incêndio

Ao encontrar princípios de incêndio, é fundamental saber a melhor forma de extingui-lo. Neste sentido, conhecer as classes de incêndio é extremamente importante. 

Incêndios Classe A

Ocorrem em materiais com características fibrosas ou em combustíveis sólidos. Eles entram em combustão em razão do seu volume, ou seja, em superfície e profundidade. 

Os incêndios de Classe A deixam resíduos, como cinzas ou brasas. Como exemplos deste tipo, podemos citar a madeira, o papel, a borracha, os cereais, os tecidos, entre outros. 

Incêndios Classe B

Nesta classe estão os incêndios ocorridos em combustíveis líquidos ou gases combustíveis. Neles, a queima é feita através da superfície, não deixando nenhum resíduo. 

Aqui estão classificados o GLP, os diversos tipos de óleos, a gasolina, o éter, o butano, entre outros.

Incêndios Classe C

Envolve os incêndios ocorridos em materiais energizados, como transformadores, motores, interruptores e similares.

Os elementos componentes deste grupo oferecem perigo altíssimo à vida quando se procura combater as chamas, isso porque envolve a presença de eletricidade. Contudo, se o equipamento motivador das chamas for desconectado de sua alimentação energética, passa a ser enquadrado na Classe A ou B. Porém, para isso, é preciso que não haja nenhuma bateria interna ou dispositivo que mantenha a energia.

Incêndio Classe D

Os incêndios dessa ordem são aqueles que ocorrem em metais pirofóricos, como rodas de magnésio, potássio, alumínio em pó, titânio, sódio, entre outros. Eles possuem como característica principal o grau elevado de dificuldade de combate.

Incêndios Classe K

Comuns em cozinhas, os incêndios dessa ordem configuram chamas originadas por banha ou óleos próprios à preparação de alimentos.

Existem, ainda, os incêndios de Classe E, que abrangem os materiais químicos e radioativos. Porém, como ainda não possui reconhecimento internacional, não há relevância em citá-la mais profundamente.

Tipos de extintores

Agora já sabemos as classes de incêndio. Podemos, então, passar para  os tipos de extintores ideais para cada uma delas ao se encontrar princípios de incêndio.

Tabela Tipo de extintores

Na classe K – incêndios ocorridos em óleos ou banha – o método de extinção mais adequado é o abafamento. É essencial lembrar que, ao encontrar princípios de incêndio deste tipo, jamais deve-se tentar combater as chamas com água. Isso porque essa classe reage de forma extremamente perigosa a este elemento, podendo causar explosões.

Formas alternativas de agentes extintores

Em alguns casos, é possível que não existam os extintores adequados para combater as chamas. É importante, então, conhecer os métodos de extinção do fogo. 

Extinção por resfriamento

Neste tipo de combate às chamas, deve-se reduzir a temperatura de forma a diminuir o calor. Esta ação visa impedir que o combustível gere gases e vapores, consequentemente se extinguindo. Como principal agente resfriador, podemos citar a água.

Extinção por abafamento

Nesta modalidade, busca-se inibir o contato do comburente (oxigênio, na maioria dos casos) com o combustível. 

Ao encontrar princípios de incêndio alimentados por oxigênio, pode-se utilizar inúmeros materiais. Entretanto, para isso, eles devem impedir o contato do fogo com o ar. O material utilizado também não deve, de forma alguma, servir como combustível para as chamas.

Extinção por isolamento

Este tipo de extinção procura retirar o combustível da reação que está causando o incêndio. Para tanto, oferece duas técnicas:

  • A retirada do material que está queimando
  • A retirada do material que está perto do fogo e que deverá entrar em combustão através dos métodos de propagação.

Extinção química

O incêndio químico é causado por uma mistura de vapores liberados do combustível e comburente. Portanto, neste tipo de extinção, o objetivo é combinar um agente químico específico com a mistura inflamável, a fim de torná-la não inflamável. 

Com isso, podemos dizer que este método não age diretamente em algum elemento do fogo. Seu efeito se dá na reação em cadeia como um todo.

Importância de se conhecer os agentes extintores

Conhecendo os agentes extintores, pode-se improvisar formas de combater as chamas ao se encontrar princípios de incêndio. 

Como por exemplo, ao deparar-se com uma ocorrência classe D. Ao conhecer os agentes extintores, sabe-se que o combustível pode ser coberto com terra, bloqueando o comburente (oxigênio). Ou que, para combater um incidente classe K (uma panela em chamas), sabemos que é possível utilizar um pano molhado para cobrir a superfície. Assim, as chamas são extintas devido ao bloqueio da reação com o oxigênio.

Instruções em casos de emergência

Existem algumas condições que indicam que o melhor é parar de tentar encontrar princípios de incêndio e abandonar o local. Agora, vamos indicar algumas atitudes de segurança para estes casos.

Primeiramente, deve-se ligar para o Corpo de Bombeiros e acionar o botão de alarme mais próximo. Em seguida, busque isolar os materiais combustíveis, proteger os equipamentos e desligar o quadro de luz.

Na presença de fumaça, proteja o nariz e a boca com um lenço ou máscara molhados. Também procure molhar as roupas e calçados que estiver usando.

Em casos de confinamento pelo fogo, mantenha-se agachado, rente ao chão. Isso porque a fumaça começa a se acumular perto do teto.

Se precisar atravessar uma barreira de fogo, procure uma cortina, manta ou lençol e enxarque com água. Feito isso, tente atravessar o mais rápido possível.

Mantenha a calma e lembre-se que você deve deixar o local, sempre descendo – e não subindo – as escadas. Para evitar o risco de quedas, retire calçados de saltos altos e meias escorregadias. Lembre-se de deixá-los em um canto, para evitar acidentes.

Não tire as roupas, exceto as confeccionadas em nylon, e, caso elas se incendeiem, jogue-se no chão e role lentamente. Isso causa abafamento e extinguirá as chamas.

Enfim, é indispensável conhecer todas as saídas de emergência existentes no local, inclusive as rotas de fuga. Igualmente importante é participar das simulações de incêndio, para saber o que fazer no caso da ocorrência deste incidente. 

agosto 12, 2019
© 2018 UGREEN