fbpx

No setor da construção civil, a adequação ambiental é fundamental, visto que este setor é responsável por grande parte das intervenções e modificações do meio ambiente. Por isso, há uma maior preocupação em se implantar boas práticas no processo construtivo.

Adequação ambiental nas edificações

A adequação ambiental nas edificações, é resultado das pressões dos consumidores e dos órgãos legisladores para a adoção de técnicas que assegurem o desenvolvimento sustentável. 

Nas edificações, algumas diretrizes relacionadas ao tema estão estabelecidas na NBR 15575. Nela, estão identificadas algumas boas práticas, como a construção racionalizada, o gerenciamento e a reciclagem de resíduos da construção civil. Bem como a reutilização da água nos canteiros de obras, o uso de energia não convencional. Orienta, ainda, o emprego de materiais de menor impacto ao meio ambiente.

Mas outras condutas da NBR 15575 relacionam-se indiretamente à adequação ambiental, como:

  • A observância do clima da região (desempenho térmico)
  • A incidência do sol (desempenho lumínico)
  • Vegetação e topografia (implantação e entorno) 

Estes parâmetros, além de complementar a adequação ambiental, garantem o conforto físico e mental do usuário no lar onde vive. Contribuem, ainda, de forma a tirar o melhor proveito das condições naturais do espaço onde a obra será construída. 

Isto é extremamente relevante, sobretudo em nosso país, onde há uma vastidão em recursos naturais e riqueza de luminosidade. Porém, geralmente, o potencial destes fatores não é aproveitado de forma satisfatória.

Importância da adequação ambiental no quadro atual do país

Ter consciência e seguir a adequação ambiental é de extrema importância. Sobretudo no quadro nacional atual, onde a situação de consumo elétrico é uma preocupação latente. 

Pode ser uma atitude que, de fato, é mais trabalhosa, mas não é difícil. O clima temperado do Brasil permite que as necessidades térmicas e de iluminação sejam completamente supridas através de estratégias passivas de condicionamento. Basta que haja o cuidado em incorporá-las no projeto de arquitetura. Para tanto, é preciso aliar a conceituação arquitetônica ao condicionamento natural da edificação.

Em se tratando de edificações residenciais populares, aliás, este posicionamento torna-se ainda mais relevante. Afinal, no Brasil, a maioria da população não possui condições financeiras para adotar sistemas artificiais de conforto térmico. Como, por exemplo, os aparelhos de ar-condicionado e os sistemas de calefação. Portanto, adotar sistemas passivos e técnicas estratégicas, neste contexto, garante o conforto do usuário de forma economicamente viável.

Assim, podemos dizer que observar as diretrizes da adequação ambiental e as disposições da NBR 15575 promove o aumento da qualidade de vida. Mais do que isso: reflete a real vanguarda na arquitetura. Contudo, ainda assim podemos ver cidades repletas de construções inadequadas sob esta perspectiva. 

Para reverter este quadro, é importante obter conhecimento das técnicas dispostas na legislação e das normas de desempenho. Somente assim é possível conscientizar-se sobre a premência e responsabilidade que se tem a respeito destes fatores. Neste contexto, é fundamental contar com um apoio especializado. A UGreen oferece toda a consultoria e suporte necessários para a aderência do projeto à cada aspecto da adequação ambiental.

© 2018 UGREEN