Como Realizar um Projeto que Proporcione Qualidade de Vida


ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

Qual o maior ativo que possuímos?

Se você pensa como nós, vai concordar que é o tempo.

O tempo é o que nos permite realizar todas as nossas ações, como fazer amigos, aprender, ter bons momentos em família e o que mais desejarmos.

Só que para desfrutarmos deste tempo da melhor forma possível, precisamos de qualidade de vida.

Sem ela o tempo não significa nada: é como se fossemos computadores velhos processando pouca informação.

O que muitos não sabem é que a arquitetura possui um papel crucial na qualidade de vida, tanto quanto a prática de exercícios ou uma boa alimentação.

De acordo com a United Technologies, um projeto de arquitetura que visa uma maior qualidade de vida pode gerar resultados expressivos, como:

  • 172% de melhor desempenho no uso da informação
  • 183% na performance em raciocínios de estratégia
  • 97% de respostas mais assertivas sobre problemas
  • 51% de melhoria nas atividades que necessitam de foco

 

Agora que você conhece esses benefícios, imagine uma situação completamente diferente.

Existem pessoas que por falta de espaços adequados vivem em condições precárias. Pessoas que possuem seu sono prejudicado diariamente, ou que até mesmo contraem doenças graves.

Não querermos ser responsáveis por prejudicar a vida de pessoas realizando projetos com baixo nível de qualidade de vida, certo?

Buscamos justamente o contrário: espaços onde as pessoas possam prolongar o seu tempo de vida e exercer suas funções com o máximo de qualidade.

Mas como podemos realizar um projeto de arquitetura que forneça mais qualidade de vida para nossos clientes — escapando do lugar comum da arquitetura e obtendo mais lucro para nossas empresas?

Fique tranquilo. Neste artigo, você vai aprender de uma maneira simples e didática quais são os 3 ingredientes fundamentais para que seu projeto de arquitetura proporcione mais qualidade de vida e torne-se uma referência em sua região.

Passo 1: Encontre os Benefícios Máximos

“Pessoas não compram coisas, compram benefícios”.

Esta é uma afirmação muito comum no mundo do marketing.

Imagine você comprando um controle remoto: você não quer saber quantos botões ele possui, só o quanto ele pode facilitar sua vida, certo?

Com nossos espaços é a mesma coisa. Você precisa entender que a arquitetura não é o estágio final, e sim um meio para atingirmos um objetivo — que aqui chamamos de Benefício Máximo.

Os Benefícios Máximos são variáveis, mas é possível encontrar padrões para cada tipo de cliente:

  • Escritórios: uma empresa mais lucrativa e reconhecida.
  • Residenciais: conforto e qualidade de vida.
  • Lojas: visibilidade da marca e mais vendas.
  • Hospitais: recuperar pacientes mais rapidamente.
  • Escolas: mais aprendizado e reconhecimento.

 

Apenas conhecendo os benefícios máximos para cada cliente é que podemos ir atrás das estratégias corretas para conquistá-lo.

Para você entender bem, deixe eu mostrar um exemplo.

Como dito antes, o benefício máximo para um cliente de escritório é possuir uma empresa mais lucrativa e reconhecida.

Mas como um cliente pode obter isto realizando um projeto com você?

Uma das estratégias principais será buscar a maior produtividade do cliente e de seus funcionários.

Mas quais os fatores melhoram a produtividade? Alguns deles são:

  • Iluminação: permite a obtenção de informações de forma mais rápida e com menos cansaço. Eleva a produtividade em no mínimo 12% (Fonte: CBRE).
  • Conforto Térmico: um ambiente adequado eleva a performance em até 35% (Fonte: REHVA).
  • Vistas de Qualidade: permite uma maior adaptação do ritmo biológico, melhorando a saúde e reduzindo as faltas no trabalho.
  • Conforto Acústico: facilita a concentração e a troca de informações.
  • Entre outros…

Já imaginou você vendendo seu projeto de arquitetura incluindo todos esses benefícios para seus clientes? Aumentando o reconhecimento do seu escritório e a rentabilidade do seu projeto? É o que muitos de nossos alunos estão fazendo hoje.

Mas é claro que apenas focar nos benefícios não levará sua empresa para o próximo nível. Nossos alunos também sabem disso.

O próximo passo que você precisa é…

Passo 2: Crie micro-processos com foco nos Benefícios

Para que seus projetos atinjam os benefícios ditos acima, você precisará de micro-processos bem definidos para cada projeto.

Um exemplo: se você sabe que para atingir uma grande Economia de Água Externa em uma edificação você precisa:

  1. Obter dados de precipitação e evapotranspiração para determinar os requisitos de irrigação.
  2. Determinar das áreas com vegetação.
  3. Selecionar os tipos de plantas adequadas.
  4. E por aí vai…

 

…tudo fica mais fácil para você e sua equipe.

Agora imagine isso para todos os elementos do seu projeto. Iluminação, conforto térmico, acústico, qualidade do ar…

Uma das maiores vantagens de estabelecer micro-processos é que você pode relembrar, retomar ou transferir atividades para outra pessoa de sua equipe de forma muito rápida, obtendo bastante produtividade.

Outra grande vantagem é que você será capaz de identificar quais atividades você está atingindo bons resultados e quais precisa melhorar.

Infelizmente, a grande maioria dos arquitetos não consegue criar micro-processos, e entram no que chamamos de Ciclo da Estagnação:

Por estarem dentro do Ciclo de Estagnação, não conseguem dar passos para fora da zona de conforto. Cada tentativa pode gerar um grande estresse.

Como resultado, comprometem o futuro de suas empresas, ou são obrigados até mesmo a fechar as portas por tamanha competitividade.

É claro que gerar mini-processos não é uma tarefa fácil. Toma tempo e energia.

Na UGREEN, nossa plataforma de ensino em arquitetura, criamos dezenas de micro-processos. Foi necessário muito tempo e vivência para filtrar as normas nacionais e internacionais realmente importantes.

Mas, a partir do momento que o arquiteto aprende micro-processos e consegue repassá-los de forma rápida para sua equipe, sua empresa tende a crescer não apenas em número de projetos ou funcionários, mas em inteligência coletiva para atingir um próximo nível.

Por isso é importante você ter processos sistematizados para repassar aos seus colegas de trabalho ou funcionários. Uma das ideias é criar apresentações internas ou gravar vídeos repassando esses conteúdos.

Não é o objetivo aqui mostrar como você pode fazer isso, afinal, esse tema por si só já merecia um livro.

Mas se o leitor possui o desejo de se aprofundar em Projetos de Arquitetura que proporcionem mais qualidade de vida e ao mesmo tempo ter o poder de repassar estes conhecimentos para seus funcionários com um clique de botão, minha sugestão é que você conheça a nosso Arquitetura Sustentável na Prática, onde abordamos todas essas estratégias de forma prática e eficiente.

Passo 3: Siga uma Metodologia para obter os micro-processos eficientes

Neste momento você compreende que fornecer benefícios máximos para seus clientes por meio de micro-processos é um ótimo caminho para uma empresa mais produtiva e lucrativa.

No entanto, existem arquitetos que, por medo de estarem perdendo “uma nova tendência”, começam a obter uma misturada de cursos, métodos e programas. Isso simplesmente não funciona.

Se você procura realizar um projeto de arquitetura que proporcione benefícios máximos para seus clientes, ou você escolhe um modelo completo e que atinja esses objetivos, ou você jamais terá micro-processos funcionando de verdade em sua empresa.

É lamentável ver a quantidade de profissionais que adquirem diversos livros de arquitetura ou compram treinamentos que possuem conceitos poucos ligados aos benefícios que seus clientes procuram.

A velha desculpa é sempre essa: “Eu pego uma coisa boa de cada curso”. Particularmente não conheço pessoas que tenham acertado fazendo isso em seu processo.

Há 16 anos eu sou um estudioso de arquitetura e pesquisador viciado, porém, aprendi a ser seletivo naquilo que eu estou estudando para que consiga implementar em meus projetos.

Faço isso simplesmente analisando se aquele novo material está alinhado com os benefícios máximos de meus clientes.

Atualmente tenho um grande números de arquitetos que confiam vários micro-processos de suas empresas com base em nossos conselhos ou nos próprios processos que já realizamos.

Isso é muito sério. Antes de apresentar técnicas para que tragam grandes benefícios para meus clientes, preciso ter a certeza que aquilo funciona.

É um processo científico de experimentação, validação e compartilhamento.

Pelo bem da sua empresa: nunca mais comece a aprender coisas desconexas.

Escolha um método “fechado” com foco claro nos benefícios dos seus clientes e veja o resultado.

Parece um bom plano para você?

Arquitetura Sustentável: Por que a Maioria Falha Implementando?

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

A Arquitetura Sustentável gera diversos benefícios para o ser humano, a sociedade e o planeta…

Isso você já sabe.

São termos diversos na cabeça de profissionais do mundo todo: materiais reciclados, redução do consumo de água, telhado verde, energia solar, jardim vertical…

Porém, a aplicação de estratégias sustentáveis é realizada de forma lenta por muitos profissionais.

Os motivos para a falha são diversos:

  1. A falta de conhecimento técnico dos profissionais.
  2. Os que aprendem algumas estratégias, mas não conseguem apresentá-las para seus clientes.
  3. A percepção de que isso não traz valor para o seu negócio.

O resultado é que diariamente projetos são finalizados com baixo desempenho. Quem perde é o cliente, a sociedade e também o meio ambiente.

Porém, quem perde realmente…

São estes profissionais.

Sim. Inclusive aqueles que reclamam de que “o mercado está difícil”.

O curioso é que muitos são aqueles que optam trabalhar de forma convencional. Logo, deixam de desenvolver um projeto de maior valor ou até mesmo deixam de desenvolver serviços adicionais.

Portanto, geram um valor, reconhecimento e impacto aquém dos seu verdadeiro potencial.

…A verdade, é que:

Para obter diferenciação de carreira, a sustentabilidade pode ser uma grande aliada…

Contanto que você utilize a sustentabilidade ao seu favor.

Ou você continua vivendo um dia após o outro esperando que “amanhã” a crise passe…

(e neste momento você já deve saber que esta crise não passará tão cedo)

…ou você começa a tratar de criar diferenciais como uma forma de investimento.

Mas como saber se o seu nicho possui potencial para estratégias sustentáveis?

Basta Você Responder 3 Grandes Perguntas:

01 – Quais estratégias em arquitetura sustentável seria um bom diferencial para seus clientes?

Vamos dizer que você trabalhe, por exemplo, com projetos de interiores de escritórios. Desenvolver simulações de conforto lumínico ajudaria a lhe diferenciar?

Alguns de nossos alunos obtiveram ótimos resultados realizando simulações lumínicas para seus clientes. Afinal, esta á uma estratégia que melhora a produtividade da empresa em no mínimo 12% (Fonte: CBRE).

Portanto, é uma estratégia sustentável que gera valor. E se gera valor, pode ser comercializada.

Cada nicho possui estratégias sustentáveis de grande valor para seus clientes. Você precisa saber quais são para vender mais e obter mais competitividade.

02- Quais estratégias em arquitetura sustentável você poderia desenvolver hoje?

Aqui é sobre a capacidade de atingir os resultados que você já sabe que são bons diferenciais.

03 – Qual o Lucro Adicional que você poderia obter por cada projeto?

A cada novo projeto, qual a porcentagem de lucro que você poderia obter por estratégias adicionais? 30, 50, 100%?

Essas são perguntas básicas que todo profissional precisa estar apto para responder.

Ou, como nós gostamos de dizer… isso é o que todo BOM Empresário vai apresentar aos seus clientes. Serviços básicos com estratégias adicionais que geram diferenciais competitivos.

Todo profissional precisa se diferenciar, para evitar “sair do jogo” por falta de espaço.

Portanto, se você quer trabalhar em diferencação, precisa pensar nestas perguntas.

Felizmente, é exatamente isso que você irá aprender nesse artigo.

Por Que Gerar Diferenciação Com Arquitetura Sustentável?

A matemática é simples e não nos deixa enganar:

Lucro = Faturamento – Investimento

Qualquer empresa que procura faturar precisa vender produtos para quem procura comprá-los. Raciocínio até bobo, certo?

Para aumentar seu faturamento, você pode:

1. Vender projetos para mais clientes: é o que todos tentam fazer, projetos para o máximo de clientes possíveis. Se você tiver uma número bem grande de clientes é uma estratégia até viável.

2. Vender seus projetos por um valor maior: aqui estão os arquitetos que buscam aumentar a percepção de valor do seu negócio. Se diferenciam entregando melhores serviços e obtém mais resiliência em períodos de escassez.

Hoje eu, Filipe, participo de grupos de profissionais. Nesses grupos, tenho a oportunidade de acompanhar os bastidores de centenas deles.

A variedade é bem grande, mas existe uma maioria que enxergava seu negócio como a venda de um único produto.

Você sabe qual é este produto: Um projeto Básico de Arquitetura. Projeto Estrutural. Acompanhamento de Obra.

E este é um erro brutal. Principalmente porque poucos possuem clientes chovendo em suas portas todos os dias.

O ponto é que você precisa enxergar seu escritório como uma empresa que…

Possui uma “linha de produtos” em arquitetura sustentável.

Essa linha de produtos pode ser utilizada, total ou parcialmente, dependendo do projeto. Desta forma, você obtém uma diferenciação estratégica em cada novo caso.

Logo, as disciplinas existentes dentro da sustentabilidade podem gerar vários “produtos adicionais”. Não apenas produtos que aumentam o valor do seu projeto, mas que trazem um valor real para a vida do seu cliente.

Em resumo, estamos falando sobre maximizar a satisfação dos seus clientes maximizando também o seu lucro.

E aqui você começa enxergar a sustentabilidade como um grande diferencial de carreira.

Porém, mesmo você já sendo um expert na área, precisa de uma boa estratégia para fazer seu negócio dar certo….

Um Erro Muito Comum Na Estratégia De Diferenciação…

Imagine que você já conhece sobre projetos sustentáveis e está em reunião com um novo cliente.

Você não chegará para este cliente dizendo que faz projeto de arquitetura + iluminação, conforto térmico, acústico, eficiência energética, eficiência da água, otimização de recursos naturais, materiais…

O cliente provavelmente saberá muito pouco sobre o que você está falando.

As chances são grandes que ele se sinta sufocado pelo excesso de informações. Dirá que volta a conversar com você “um outro dia” (e que pode ser provavelmente nunca).

Existe uma sequência de tarefas que devem ser realizadas para que um cliente entenda seus diferenciais.

Vamos entender onde que o erro acontece. Deixe-me ilustrar as duas formas principais que muitas empresas vendem seus projetos:

 

Não sei se você se encaixa em um dos dois perfis. Porém, espero que você não faça parte de nenhum desses (principalmente do 2). Caso contrário o seu negócio está correndo sérios riscos…

Existe um grande problema para quem está utilizando a estratégia 2. A margem de conversão (% de vendas fechadas por proposta enviada) geralmente é baixa.

O valor de projeto também, pois você ainda não teve tempo de demonstrar o diferencial dos seus serviços.

Lembra que eu falei que você precisa trabalhar em estratégias sustentáveis COM o cliente ao invés de CONTRA ele?

Não adianta você ter o domínio de estratégias de construção sustentável e tentar vender seus diferenciais…

…para pessoas que não tiveram o menor tempo de absorver esses serviços e entender as suas vantagens.

O “ciclo educacional” de quem vende arquitetura sustentável é ao menos 30% mais longo de quem vende o tradicional.

Principalmente porque é um território completamente desconhecido para a grande maioria das pessoas.

Portanto, muitos acabam “se diferenciando para o mal” quando vendem arquitetura sustentável.

Peço desculpas se estou sendo muito duro, mas acredite. Eu já vi esse ciclo acontecer dezenas de vezes:

arquitetura sustentavel

Talvez você esteja se perguntando: Ok, mas então o que eu devo fazer para ter lucro com arquitetura sustentável?

O que você precisa construir para o seu negócio é o que nós chamamos de “Estratégia de Aquisição Educacional”.

O Modelo Sustentável para Vender Arquitetura Sustentável

A Estratégia de Aquisição Educacional consiste em você atrair novos clientes com consistência para o seu negócio. Não apenas isso, mas criar um processo educacional sobre os benefícios da arquitetura sustentável.

Pela educação o aumento da notoriedade da sua empresa se intensifica. Sua probabilidade de venda e sua margem de lucro também.

Como isso funciona?

A estrutura consiste em:

  1. Atrair os clientes certos aos seus serviços
  2. Obter seu contato e agendar uma conversa
  3. Apresentação de recurso educacional
  4. Realizar a primeira conversa e Diagnóstico inicial
  5. Elaboração do Diagnóstico Intensivo (Pago)
  6. Apresentação do Prognóstico
  7. Apresentação da Proposta
  8. Apresentação das Estratégias Adicionais
  9. Desenvolvimento do Projeto (caso FECHADO) ou Acompanhamento (caso NÃO FECHADO)
  10. Conclusão e obtenção de recomendações.

 

arquitetura sustentável

Possuindo esta sequência, você possui um sistema para vender arquitetura sustentável.

Possui um sistema consistente de diferenciação profissional. Por consequência, projetos mais reconhecidos e lucrativos.

Esse é exatamente o modelo que utilizamos em nosso negócio. É o modelo que nossos alunos que participam das nossas formações também utilizam com sucesso.

Existem grandes vantagens em se ter uma Estratégia de Aquisição Educacional…

  • Ao invés de você simplesmente tentar vender arquitetura do zero, você terá educado este cliente antes.
  • Um cliente educado compreende seus diferenciais.
  • Por consequência, o processo de vendas se torna mais leve e rápido.
  • Educar lhe diferencia dos vendedores comuns. Portanto, seu escritório atrai mais projetos e lucro.

Outro “efeito colateral” do processo educacional são as recomendações. É algo que recebemos toda a semana.

Um cliente pode não comprar seu serviço… mas quando ele compreende o seu trabalho, pode recomendar para outros.

Se tudo isso for uma novidade para você…

Calma. Com as ferramentas certas, você pode obter os mesmos resultados.

Alguns podem dizer: “Ah, mas isso dá muito trabalho. Prefiro continuar trabalhando como eu sempre trabalhei.”

Outros já podem falar: “Essa estratégia é só para quem possui uma empresa consolidada…”

É uma escolha, mas nós preferimos utilizar a Estratégia de Aquisição Educacional por 2 motivos:

1. Preferimos ter controle sobre nosso trabalho.

Com a Estratégia de Aquisição Educacional, tenho certeza de que estou apresentando nossos diferenciais. As chances de fechamentos se intensificam.

2. Nós gostamos de ter uma empresa lucrativa e saudável, simples assim.

Não tem como negar, a Estratégia de Aquisição Educacional é mais lucrativa. Podemos nos diferenciar a ponto de vender não apenas um, mas outros serviços. Alguns nos inseriram em grandes empresas do Brasil, com estas:

Estas são as vantagens de utilizar a Estratégia de Aquisição Educacional:

  • Você obtém mais vendas, uma maior margem de lucro e mais “permeabilidade” em mercados até mesmo hostis.
  • Gera uma renda mais consistente e evita a imprevisibilidade.
  • Obtém novos clientes por processos automatizados.
  • Evita a falta de clientes recorrentes, que é o que mais mata escritórios hoje.

Como Criar Uma Estratégia de Aquisição Educacional?

O primeiro passo é seguir a estrutura que eu ensinei no tópico anterior.

Costumamos dizer que a Estratégia de Aquisição Educacional é o oxigênio do nosso negócio. Isso significa que você precisa constantemente alimentar o seu sistema com novos prospectos. Desta forma, você pode executar boas vendas todos os meses.

Lembre-se da estrutura:

  1. Atrair os clientes certos aos seus serviços
  2. Obter seu contato e agendar uma conversa
  3. Apresentação de recurso educacional
  4. Realizar a primeira conversa e Diagnóstico inicial
  5. Elaboração do Diagnóstico Intensivo (Pago)
  6. Apresentação do Prognóstico
  7. Apresentação da Proposta
  8. Apresentação das Estratégias Adicionais
  9. Desenvolvimento do Projeto (caso FECHADO) ou Acompanhamento (caso NÃO FECHADO)
  10. Conclusão e estratégias de recomendações.

Não adianta você querer fazer arquitetura sustentável no mundo real e não acompanhar cada uma dessas etapas. Logo, é muito importante seguir o checklist acima.

A Estratégia de Aquisição Educacional possui etapas bastante específicas. Porém, você normalmente consegue criar toda essa estrutura em cerca de 40 dias, não mais do que isso.

Você Quer Nossa Ajuda Para Sua Diferenciação Na Arquitetura Sustentável?

Aqui está uma lista do que eu preparei para te ajudar a montar a sua Estratégia de Aquisição Educacional:

  1. Definição do Posicionamento de sua empresa em diversas mídias.
  2. Definição de campos de atuação e estratégias adicionais.
  3. Checklist de descoberta do que você pode realizar HOJE.
  4. Aprendizado das estratégias essenciais que você não tenha conhecimento.
  5. Definição dos recursos educacionais.
  6. Definição do modelo de diagnóstico essencial.
  7. Definição do modelo de diagnóstico Intensivo (pago).
  8. Definição de apresentação de Prognóstico e proposta.
  9. Definição do modelo de proposta para vender Arquitetura Sustentável com MAIS LUCRO.
  10. Sistema de relacionamento e recomendações para a sua empresa.
  11. E mais…

A Estratégia de Aquisição Educacional é o núcleo do nosso treinamento, o Green Circle.

Um grande abraço e até breve!

Inicie Um Negócio Eficiente e Obtenha Mais e Melhores Clientes

Implemente estratégias comprovadas, obtenha foco inabalável e junte-se a uma comunidade de arquitetos e engenheiros que estão fazendo diferença no mercado da construção civil.

Construíndo Cidades Inteligentes

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

Você sabe o que são as Cidades Inteligentes?

Cidades inteligentes são cidades que possuem a tecnologia, a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico inovador em função de uma cidade eficiente e com melhor qualidade de vida.

Normalmente abordamos assuntos mais ligados a projetos, mas desta vamos abordar um assunto coletivo dos projetos e como eles compõem o contexto urbano.

Esperamos que este conteúdo ajude você a pensar sobre nossas cidades e contribuir para a sua evolução junto com a gente!

O Desenvolvimento de Cidades Inteligentes

A cidade de Curitiba sediou no mês de março um importante evento chamado Smart City Expo Curitiba,  que reuniu autoridades internacionais e nacionais no que diz respeito a criação e desenvolvimento de cidades inteligentes. Os principais assuntos abordados neste evento de 2018 foram:

• Tecnologia Disruptiva
• Inovação Digital e Desenvolvimento Economico
• Governança
• Futuras Cidades Sustentáveis

Os assuntos abordados no evento trazem uma variedade de subitens, todos importantes para a composição de uma cidade inteligente. O último deles fala diretamente com profissionais da construção civil e nossa contribuição para seu desenvolvimento.

Mais quais são esses itens?

Pontuamos os 5 Principais, que consideramos contribuições de hoje para as Cidades Inteligentes de amanhã:

1- Energia Limpa

Cidades Inteligentes, por inúmeras questões, serão cidades que operam com energia limpa e descentralizada. Unidades geradoras instaladas em prédios comerciais ou residenciais contribuirão para a construção de um “grid” de colaboração entre as partes, trazendo autonomia e eficiência para os projetos e seus inquilinos.

Quais os benefícios da descentralização?

• Eficiência – Perdas em transmissão significam 40 – 60% de energia.
• Apagões perdem o seu potencial de desastre, se comparados com a geração de energia tradicional.
• Espaços públicos – Infraestrutura para transmissão e conexão ocupam espaço, e podem ser minimizadas e mantidas apenas para backup.
• Limpeza do ar – Energias não renováveis são poluentes e contribuem para o aquecimento global.

Ainda no mesmo intuito de utilizar energia com melhor eficiência, é necessário citar os meios de locomoção. Quais se adequam a filosofia das smart cities, que é de potencializar os meios de conexão entre os espaços sem aumentar os impactos ao meio ambiente?

Ao contrário do que se vê nos filmes hollywoodianos, priorizar o pedestre é uma das metas das cidades inteligentes. Carros são apenas coadjuvantes —existentes — mas totalmente dispensáveis.

E como isso pode ser alcançado?

• Carros elétricos.
• Transporte Público de qualidade.
• Ciclovias e estruturas que suportem essa mobilidade sustentável.
• Vias de qualidade aos pedestres.
• Interconexão entre os projetos.

Cabem aos arquitetos, urbanistas e engenheiros prever esses espaços ou sua adequação para receber essas novas tecnologias e avanços.

A promoção de espaços de qualidade e interconexão entre os projetos construídos são itens importantíssimos a serem estudados e aprofundados, pois podem determinar o sucesso deste conceito.

2- Construções

A qualidade e a efetividade das construções são contribuintes para o bom funcionamento de uma cidade inteligente, e como podemos construir hoje a arquitetura que também irá afetar o amanhã.

Construções NetZero

Esse conceito dificilmente vai cair de moda. Edificações autossuficientes, preparadas para neutralizar sua existência são um perfeito exemplo de uma arquitetura e engenharia que permanece. As tecnologias se atualizam, mas uma vez que seu projeto esteja planejado para receber o que já podemos oferecer hoje, as atualizações se tornam mais fáceis.

 

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.

 

O que fazemos com construções que não foram pensadas dentro do conceito NetZero ? Adaptamos. Uma construção que não é NetZero, mas que pode ser adaptada para seu maior potencial de operação eficiente, é um investimento muito melhor aos olhos da sustentabilidade do que uma destruição e nova construção dentro dos padrões. Ser inteligente requer reconhecer valores existentes e preservá-los.

Em uma edificação existente o material já foi extraído, processado, transportado e a energia e água já foram expendidas. Devemos valorizar esse esforço, a pegada já impressa no meio ambiente, sem duplicá-la. Esta ideia é algo que a America Latina não utiliza em todo seu potencial, mas que a Europa aplica bem. As grandes cidades da Europa são exemplos clássicos de como o novo e antigo podem ser unidos com sucesso.

3- Vegetações

Assim como unir o novo e o antigo faz parte da construção de uma cidade inteligente, trazer a vegetação para dentro dela é não somente necessário para a saúde, mas uma grande contribuição para eficiência e controle climático.

Portanto, não apenas para jardins bem decorados deve servir o verde.

O verde na cidade deve servir proposito. Inserir o verde em telhados, paredes, ou jardins que tratam efluentes são apenas algumas das mais eficientes e produtivas formas de utilizá-lo.

Outra forma de se trazer o verde ativo para a cidade seria utilizando os espaços obsoletos como hortas urbanas. Além dessas vantagens, teremos os benefícios mais óbvios como a purificação do ar, a redução da temperatura do microclima e a permanência de microrganismos dentro dessa atmosfera.

 

4- Climas Extremos

Cidades ao redor do mundo todo, especialmente em grandes centros urbanos, hoje enfrentam um problema comum: as mudanças climáticas. Isso significa para muitas cidades eventos climáticos extremos.

O planejamento urbano hoje precisa levar em conta as consequências desses eventos extremos como: enchentes, tempestades de vento ou neve, temperaturas atípicas por região e outros. Não podemos contar com a reversão deste quadro tão cedo, portanto necessitamos de planejamento para a mitigação desses efeitos e cidades mais resilientes.

Algumas das estratégias mais comuns para cidades mais resilientes são:

• Pavimentação drenante.
• Vegetações resistentes ao vento.
• Engenharia flexível.

Você notou que não mencionamos um item sequer fora de nossa realidade atual?

Ainda sim, todos os itens mencionados tem grande potencial de estar em nosso futuro, pelos benefícios que trazem hoje e que permanecem.

5- Cultura

Como mencionado anteriormente, uma cidade inteligente dificilmente será construída do zero. Ela acontece todos os dias. Cidades nascem e crescem organicamente e smart-cities devem ser moldadas nessa mesma cultura.

Aliás, todas as tentativas até o momento de moldar smart cities da noite pro dia foram frustradas. A Índia e a Korea do sul enfrentaram esses problemas de diferentes formas. Veja alguns dos itens responsáveis pelo fracasso:

O Fracasso na Índia:

A Índia lançou um plano ambicioso de investir em cidades menores e já habitadas, transformando-as rapidamente em Smart Cities. Como resultado, enfrentou sérios problemas, como:

• A legalização de toda documentação do projeto em tempo hábil.
• A mudança de legislações para adequar certos terrenos e vizinhanças ao novo projeto.
• A adequação drástica da população ao remanejamento das novas vizinhanças.

O Fracasso na Korea do Sul:

Esta criou “Cidades perfeitas” no conceito, mas cometeu um erro gravíssimo. Os cidadãos que vieram a habitar essa cidade foram admitidos somente após serem entrevistados. Resultado:

• Pessoas convidadas não se adaptaram com outros convidados.
• A Falta de uma cultura local era uma reclamação constante.
• Diversas pessoas retornaram a Seul, por sentirem falta de mais compaixão e cultura entre as pessoas.

Conclusão

Pessoas precisam sentir-se em casa para chamar um lugar de seu. Ela não precisa ser sua cidade de nascimento, mas precisa ser a cidade com que você se identifica e ajuda a construir todos os dias.

Não é suficiente convidar pessoas com um determinado perfil para um lugar “perfeito” em conceito. Elas precisam ver seu valor e comunidade, para que esta possa ter sucesso e prosperar.

A cidade inteligente pode ser a sua cidade, basta que você comece a construí-la!

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.