Construções em Containers: Sustentável ou não?

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

Construções em Containers: Sustentável ou não?

Você que está lendo este artigo deve estar pensando: “Por que essa pergunta se Containers são sustentáveis? É lógico que são! Vi na televisão e li vários artigos sobre o assunto!”

Mas você tem certeza disso?

Nem sempre uma construção em container significa sustentabilidade. Existem vários aspectos que devem ser considerados.

Te deixei com dúvidas? É só continuar lendo o artigo para descobrir se esse tipo de construção é ou não bom para o meio ambiente.

E não se esqueça de compartilhar nas suas redes sociais, viu?!

Afinal de contas… o que são Containers?

Bom, para quem caiu de pára-quedas neste artigo e não faz ideia do que seja um container, vamos esclarecer!

Se você já passou por algum porto, deve ter visto algum desses por aê. Se não, dê uma olhada na foto abaixo:

containers

Pois bem, os containers são essas caixas de metal muito usadas nos portos para armazenamento e transporte de produtos.

Eles podem ser feitos de alumínio, aço ou fibra. São muito bem estruturados, pois devem resistir ao transporte constante de mercadorias. Os containers possuem resistência a incêndios e chuvas, e sua vida útil para esse mercado é de, aproximadamente, 8 anos.

No entanto, após o uso no mercado náutico, esses elementos são descartados e podem durar até 100 anos. Sendo assim, essas caixas de metal são descartadas na natureza e passam o resto de suas “vidas” inutilizadas.

Porém, arquitetos, engenheiros e profissionais da área de construção viram nesse material uma forma de construção sustentável.

Mas será que a construção desta forma é realmente sustentável?

Construção em Containers: Sustentável se feito de forma correta

Antes de falarmos sobre as vantagens e desvantagens desse tipo de construção. Vamos entender um pouco mais sobre o material do qual estamos falando.

É notável que a maioria das pessoas vê essa construção como uma arquitetura que é boa para o meio ambiente. Contudo, isso nem sempre é verdade.

containers

Se a construção for feita em um container novo, isso não a transforma em sustentável; muito pelo contrário, houve uma compra desse material e não a reutilização do mesmo.

Outro detalhe a ser considerado é a pintura do material. Como foi dito acima, é preciso haver uma reutilização desse material para que ele seja considerado sustentável. Assim, os containers vêm de portos e sua pintura para a utilização marítima pode conter elementos tóxicos. Portanto, uma limpeza deve ser realizada.

Dessa forma, existe um processo que deve ser seguido para que a construção feita no container não perca o seu real propósito, e acabe sendo algo não sustentável.

Para a construção, são utilizados dois tipos. Primeiramente temos o mais conhecido: o marítimo comum. Esse tipo resiste à corrosão, mas peca no isolamento acústico e térmico.

O segundo tipo é o reefer. Esse é utilizado para transporte de carga congelada. O container reefer é mais caro, todavia possui melhor isolamento.

containers

A reutilização de containers em muitos casos parece ser uma forma ‘verde’ de construção, no entanto, para que a sua estrutura seja utilizada há produção de muito lixo. O que seria o “chão” precisa ser trocado e é necessário fazer cortes em sua estrutura para portas e janelas. Em muitos casos, quando são feitos muitos cortes, a estrutura é comprometida, sendo necessário utilizar mais materiais para refazê-la. Assim, o propósito sustentável acaba sendo deixado um pouco de lado.

Agora que você entendeu que essa construção possui um processo longo, vamos as suas vantagens e desvantagens.

Vantagens e Desvantagens dos Containers

Como vimos logo acima, a construção feita no container pode ser benéfica ou não. Isso vai depender de todo um processo que deve ser planejado de forma a não agredir o meio ambiente.

Assim, apresentaremos as vantagens e desvantagens desse método:

Vantagens dos Containers

  • Esse tipo de material possui muita flexibilidade. Portanto, ele pode ser desmontado e montado em outro local, pois suas características facilitam a montagem;
  • Ajuda a manter uma boa permeabilidade do terreno;
  • Se feito de forma correta, sua obra será mais limpa com a redução de entulho e outros tipos de materiais;
  • Devido ao menor uso de água, cimento, areia e outros materiais; há uma economia maior de recursos naturais;
  • É sustentável quando faz a reutilização do material;
  • Se o projeto for bem administrado, haverá um baixo custo, pois pode-se ter uma economia de 30% em relação à construção tradicional;
  • É uma forma de construção mais rápida, levando entre 60 e 90 dias para ser finalizada;
  • Por ter uma ‘vida’ longa, possui durabilidade;
  • Dimensões adaptáveis em projetos, chegando a 12 metros de comprimento.
  • É modular, criando oportunidades futuras de expansão.

Desvantagens dos Containers

  • Infelizmente, ainda carece de legislação e obtenção de financiamento, pois é um tipo de construção muito novo;
  • Alguns solventes e selantes utilizados na fabricação podem ser tóxicos, sendo prejudiciais à saúde;
  • Para que a construção seja feita, é necessário um terreno grande para que haja a manobra de guindastes;
  • É necessário mão de obra especializada, principalmente para os cortes que devem ser feitos em sua estrutura;
  • Por serem feitos de metais, a vedação e isolamento térmico são críticos, pois o metal absorve muito calor e pode gerar problemas de resfriamento;
  • É necessário verificar o que era transportado no container, pois pode existir vestígios de contaminantes; e
  • Antes da aplicação da construção, será necessário um tratamento contra a ferrugem.

 

Agora que você já viu todas as vantagens e desvantagens dessa construção, essa arquitetura é sustentável ou não? Deixe sua opinião nos comentários!

fontes das fotos: containerrecife, blogdaarquitetura e boxhub

 

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.

Quais os conceitos básicos da Arquitetura Bioclimática?

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

O que é Arquitetura Bioclimática?

Todos nós queremos morar, trabalhar ou ter um momento de lazer em ambientes acolhedores.

Com esse intuito, as tecnologias foram avançando cada vez mais. No entanto, algumas dessas tecnologias agridem ao meio ambiente.

O que vemos, são pessoas buscando pelo conforto através de produtos com elevado custo energético e financeiro, que causam alto impacto ambiental e até usam técnicas insalubres.

Indo contra essa tendência, profissionais trazem conceitos da arquitetura bioclimática para buscar este conforto de forma mais natural e menos agressiva.

E você arquiteto, engenheiro ou profissional da área de construção, também pode fazer a diferença nesse cenário.

Quer saber como? Continue lendo e não se esqueça de compartilhar com seus colegas de trabalho.

A Arquitetura Bioclimática

No atual contexto em que estamos vivendo, muitos profissionais encontraram as soluções para construções mais sustentáveis, em técnicas ancestrais. Isso mesmo! Técnicas mais simples, mas que não deixam de lado a criatividade.

Um exemplo é o uso de técnicas como a Taipa. Se você ainda não viu o nosso artigo sobre o uso da Taipa, é só clicar aqui.

Como íamos dizendo, a Arquitetura Bioclimática foi uma das soluções encontradas pelos profissionais de diferentes segmentos, para a construções de ambientes confortáveis e que não agridam ao ambiente.

Arquitetura Bioclimática

Leia abaixo o que diz Adonis Arantes de Souza:

“A Arquitetura Bioclimática é o estudo que busca a harmonização das construções ao clima e características locais. Manipula o desenho e elementos arquitetônicos a fim de otimizar as relações entre homem e natureza, tanto no que diz respeito à redução de impactos ambientais quanto à melhoria das condições de vida humana, conforto e racionalização do consumo energético.”

Mas o que isso quer dizer?

Aplicação da Arquitetura Bioclimática

Para fazer a aplicação desse tipo de arquitetura, deve-se criar uma forma para que a construção seja confortável tanto no verão, quanto no inverno.

Como isso é possível?

Através de técnicas provenientes da Arquitetura Bioclimática, é possível que o profissional realize um projeto que não perca e nem ganhe calor desnecessário. Além disso, o projeto maximiza o uso da luz natural.

Outro detalhe importante é o uso da ventilação cruzada. Esse tipo de ventilação é feito de modo que os vãos (janelas ou portas) sejam colocados em paredes opostas ou adjacentes e no sentido dos ventos. Isso permite a entrada e saída do ar, além de trazer trazer uma higienização para os ambientes, pois o ar é renovado.

Dessa forma, não é necessário o uso de ar condicionado e luz artificial durante o dia para que seja possível uma iluminação necessária, além de um temperatura agradável. Assim, essa técnica também contribui para a racionalização do consumo energético, sendo uma ótima alternativa para este cenário sócio-ambiental em que estamos vivendo.

Arquitetura Bioclimática

Embora pareça nova para muitas pessoas, a Arquitetura Bioclimática possui técnicas e elementos que vêm sendo utilizados desde a antiguidade. As cidades romanas são um exemplo de desfrutamento da orientação solar. Porém, sabemos que há ainda muito a se descobrir e inovar.

Conhecendo os conceitos básicos

Para que possamos colocar essa técnica em prática, precisamos, é claro, conhecer os conceitos básicos. Então fique ligado na lista abaixo:

  • Energia Solar – deve-se ficar atento à trajetória do Sol e a duração da exposição solar;
  • Temperatura – é importante salientar que a temperatura vai depender da radiação solar, do vento, da altitude e da natureza do solo. Fique atento a isso;
  • Umidade – a umidade é a porcentagem de água contida no ar. Ela também é influenciada pela temperatura, vegetação, volume de precipitações, tipo de solo, entre outros;
  • Vento – fique muito atento a esse item. O vento é o principal responsável pela perda total ou parcial de calor;
  • Água – a água é uma influenciadora do microclima e da vaporização. Através do processo endotérmico, ela diminui a temperatura;
  • Vegetação – a vegetação é importantíssima na Arquitetura Bioclimática, pois protege o edifício. Assim, ela é capaz de refrescá-lo e filtrar o pó presente no ar.

Lembre-se que cabe a você arquiteto, engenheiro ou profissional da área de construção, a busca por um ambiente mais confortável e sustentável.

Fotos: revistahabitare

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.