Permacultura: Forma de viver em harmonia com o planeta

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

O que é Permacultura?

A palavra Permacultura originou-se da expressão em inglês “permanent agriculture”. Hoje, devido a sua abrangência, esse termo passou a ter o significado de “cultura permanente”. Esse termo propõe uma cultura que visa a nossa permanência neste planeta em harmonia com a natureza.

A prática foi criada por Bill Mollison, professor de psicologia ambiental, e David Holmgren, seu aluno, na década de 1970.

Segundo Bill, a Permacultura “é um sistema de design para a criação de ambientes humanos que sejam sustentáveis e produtivos, em equilíbrio com a natureza”.

Essa técnica une práticas ancestrais aos conhecimentos modernos das áreas, principalmente, de ciências agrárias, engenharias, arquitetura e ciências sociais.

A Permacultura trata de animais, plantas, edificações e infra-estruturas, bem como, dos relacionamentos criados entre eles conforme sua composição em um terreno, de forma a criar ambientes humanos em harmonia com a natureza.

Principais Aspectos da Permacultura

Segundo Rosemary Morrow, os principais aspectos dessa prática podem ser resumidos como:

  • Uma síntese do conhecimento tradicional e de ciências modernas, aplicável a situações urbanas ou rurais.
  • Um sistema para a criação de comunidades humanas sustentáveis que integra design e ecologia.
  • Um estímulo para nos tornarmos parte consciente de soluções frente aos inúmeros problemas que enfrentamos local e globalmente.
  • Tornar os sistemas naturais como modelo e trabalha com a natureza para projetar ambientes sustentáveis que possam prover as necessidades humanas básicas, bem como as infraestruturas que as apoiam.

Princípios Éticos e de Planejamento

É através dos princípios éticos aplicados à prática da ecologia que os permacultores trabalham o viver. Cada permacultor tem a função de criar seu solo e armazenar água: que são as bases da vida.

Os princípios éticos são:

  1. Cuidar da terra.
  2. Cuidar das pessoas.
  3. Compartilhar excedentes.

 

Os princípios éticos devem estar sempre apoiando e guiando os princípios do planejamento. São eles:

Esses doze princípios foram desenvolvidos ao longo de mais de duas décadas e publicados em 2002 por David Holmgren no livro “Permacultura: princípios e caminhos além da sustentabilidade”. O livro foi publicado em português no Brasil em 2013. Segundo Holmgren (2013, p.12):

“Os primeiros seis princípios consideram os sistemas de produção sob uma perspectiva de baixo para cima dos elementos, organismos e pessoas. Os demais seis enfatizam a perspectiva de cima para baixo dos padrões e relações que tendem a emergir por meio da auto-organização e coevolução dos ecossistemas”.

Abaixo podemos ver o símbolo da Permacultura:

 

“O formato oval, do símbolo da permacultura, representa o ovo da vida; aquela quantidade de vida que não pode ser criada ou destruída, mas que é expressada e emana de todas as coisas vivas. Dentro do ovo está enrolada a serpente do arco-íris, a formadora da terra dos povos aborígines. No centro está a árvore da vida, a qual expressa os padrões gerais das formas de vida. Suas raízes estão na terra e sua copa na chuva, na luz do sol e no vento. O símbolo inteiro e o ciclo que representa, é dedicado à complexidade da vida no planeta Terra.” (Extraído de “Introdução a Permacultura” de Bill Mollison)

Fonte: setelombas.com.br

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.

Compostagem: Entenda melhor os seus benefícios

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

O que é a Compostagem?

A Compostagem é uma técnica sustentável de fertilização do solo. Ela pode ser feita com parte dos resíduos orgânicos, sejam eles de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal.

O processo se dá de forma natural, onde os micro-organismos, como fungos e bactérias, degradam essa matéria orgânica. O resultado é um adubo excelente para hortas, vasos de plantas, jardins ou terrenos.

Essa não é uma prática nova, mas ganhou popularidade com o avanço da preocupação com o meio ambiente. Há muito tempo, agricultores já utilizavam esse método para obter fertilizante orgânico.

Muitas pessoas aderiram ao método por ser uma forma de adquirirem adubo para suas plantas e hortas. Hoje, existem no mercado as composteiras.

Compostagem

A composteira é um local ou estrutura para o depósito e processamento do material orgânico. Nesse local que irá ocorrer a compostagem. A composteira pode ser de vários tamanhos ou formatos, isso vai depender do volume de produção e espaço livre, mas todas possuem a mesma finalidade.

Elas podem ser usadas em casas e apartamentos, sendo a compostagem caseira uma ótima iniciativa.

Por que fazer a Compostagem?

Ao usar a técnica da Compostagem, contribui-se para uma redução das sobras de alimentos, sendo uma forma fácil de reciclar os resíduos das residências. Esse é um dos métodos mais antigos de reciclagem, onde o ser humano apenas imita o processo da natureza para melhorar a terra.

Compostagem

Fazendo uso dessa técnica, pode-se diminuir a quantidade de resíduos descartados no meio ambiente. Dos resíduos gerados no Rio de Janeiro, cerca de 52% são orgânicos, contra 44% de recicláveis e 4% de rejeitos.

Em 20 anos, a porcentagem de lixo orgânico aumentou 16% segundo dados da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (COMLURB).

Infelizmente, nem todos esses 52% podem ser compostados. Isso se deve ao fato de não terem sido separados previamente e, assim, podem ter se misturado a resíduos que não são compostáveis.

O que pode ser compostado?

Dos elementos verdes, podem ser compostados:

  • Restos e cascas de frutas, legumes e verduras
  • Saquinhos de chá
  • Bagaço de cana
  • Restos ou migalhas de pães ou biscoitos
  • Esterco de galinha, gado ou cavalo (animais herbívoros)
  • Pó de café
  • Restos de grãos ou farinhas crus

Dos elementos castanhos, podem ser compostados:

  • Aparas de ervas, raízes ou capim seco
  • Restos de podas e jardinagem
  • Cascas de árvores
  • Arbustos e árvores
  • Grama seca
  • Folhas secas
  • Serragem

Como fazer minha Compostagem Caseira?

Compostagem

Para fazer sua compostagem caseira, você precisará de algumas dicas:

  1. Escolher um lugar que seja de fácil acesso e sombreado.
  2. Pegue os restos orgânicos e reduza o tamanho deles, pode ser picando ou rasgando.
  3. Primeiro, você deverá colocar o material graúdo (o mais adequado é o de cercas vivas e poda de árvores, picados) até uma altura de 20 cm.
  4. Acrescente mais resíduos de jardim e de cozinha, mas misture bem para que não se formem camadas de um único material.
  5. Lembre-se de manter o material solto e fofo.
  6. Recubra com uma camada de palha, folhas de bananeira, grama ou folhagem para proteger do ressecamento e de chuvas fortes.
  7. Sempre que necessário, molhe para manter a umidade.
  8. Avalie a temperatura. Isso pode ser feito com um termômetro de haste longa, uma barra de ferro ou apenas colocando a mão no interior. Se for possível suportar o calor, a temperatura está boa.

 

Lembre-se da importância da Compostagem para a redução de resíduos e como isso irá ajudar o nosso planeta!

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.

 

Inspire-se com 4 Projetos de Casas Sustentáveis Pelo Mundo

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

Sabemos que durante nossos projetos algumas vezes falta aquela fonte de inspiração crucial para uma solução diferenciada.

No entanto, estamos aqui para ajudar. 🙂

Que tal alguns exemplos de casas sustentáveis pelo mundo para você se inspirar para seu próximo projeto?

ZEB Pilot House – Noruega

Fonte: snohetta.com

O primeiro exemplo entre nossas casas sustentáveis não deixa nada a desejar.

A ZEB Pilot House, da empresa internacional de arquitetura Snøhetta, é uma residência experimental notável, que faz uma afirmação ainda maior: graças a uma incrível eficiência de seu sistema construtivo e amplos painéis solares, gera cerca de três vezes a quantidade de eletricidade necessária para seu uso. Deixa energia de sobra para carregar diversos carros elétricos para a família ou contribuir com a vizinhança.

Para alcançar este desempenho, a ZEB Pilot House apresenta grande sistema fotovoltaico, um sistema eficiente de coleta de água da chuva, painéis solares térmicos e um eficiente trocador de calor.

Não faz mal que a casa seja linda para os olhos também. O desempenho da casa está atualmente sendo monitorado para garantir que as demandas de eficiência energética estejam conforme o projeto.

Casa pré-fabricada em Londres

Fonte: collective-evolution.com

Essa casa pré-fabricada foi projetada para o Festival de Design de Londres. Em sua construção foram usados materiais reciclados, e reutilizáveis. Sua obra durou apenas 2 semanas, pois seus componentes foram projetados utilizando técnicas de pré-fabricação.

Chamada de Construção de Economia Circular, em que praticamente tudo pode ser reutilizado após o seu ciclo de vida ser encerrado, a casa prova que o campo da construção vem se inovando. Os arquitetos e engenheiros responsáveis pelo projeto criaram um design genial aliado às técnicas ecológicas. Por exemplo, até o carpete pode ser trocado quando estiver desgastado e reutilizado.

A acústica do projeto também é notável. A casa possui paredes que utilizam um painéis feitos com garrafas de plástico. Para complementar, um sistema de alto tecnologia incorpora sensores para detectar o ambiente interno e ajustar as luzes e cortinas  conforme os critérios de luminosidade e privacidade.

Waste House – Inglaterra

Fonte: newatlas.com

A Waste House é um grande exemplo entre nossas casas sustentáveis. Foi instalada na Universidade de Brighton, no Reino Unido e, como o próprio nome sugere, a casa-protótipo é construída quase exclusivamente a partir de resíduos descartados.

Cerca de 90% dos materiais utilizados para fazer a Casa de Resíduos são provenientes de resíduos domésticos, incluindo 20.000 escovas de dentes, 4.050 caixas de DVD, 2.000 disquetes e 2.100 carpetes usadas para revestir a fachada da casa.

O arquiteto Duncan Baker-Brown disse: “Todas as videolocadoras estavam fechando, então pegamos todas as caixas de DVD e VHS para usar como isolamento térmico”.

O papel usado era então comprimido para tornar um material altamente resistente, transformando-se em pisos e carpetes que eram queimados e fixados. Uma empresa que importa jeans da China também forneceu tecido para reforçar o isolamento da edificação.

Por enquanto ninguém mora na residência, mas é uma conquista notável que nos ensina que “não existe desperdício, apenas coisas no lugares errados”.

Casa inspirada nas ‘Case Study Houses’ na California

Fonte: designmilk.com

Essa belíssima casa é chamada de Avocado Acres. Fica na Califórnia e foi inspirada nas ‘Case Study Houses’, o programa que revolucionou a arquitetura pós-guerra.

Localizada na cidade de Encinitas, ela foi projetada de modo que seus moradores se sintam confortáveis tanto dentro, quanto fora da casa.

O projeto segue uma forma de U, criando fortes conexões do interno com o externo. A casa possui sua construção, em boa parte, feita com madeira.

Possui 3 pavilhões, que compartilham um telhado curvo e um jardim, sempre de frente para a parte externa, o que confere uma ilusão de espaço ampliado. A porta amarela quebra o tom neutro do exterior.

Gostou dos nossos exemplos de casas sustentáveis?

Agora que você está inspirado, que tal aplicar isso no seu próximo projeto?

 

Inscreva-se nas Melhores Aulas ao Vivo de Construções Sustentáveis da Internet

Acesse agora e obtenha acesso gratuito.