Vistas de Qualidade

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

[iframevideo] [/iframevideo]

ANTERIORMENTE…

…comentamos em outro vídeo que edificações sustentáveis ajudam em diversos aspectos cognitivos do ser humano: Melhora na percepção, atenção, produtividade e até mesmo o juízo.

Muitas vezes falamos de fazer academia, nos alimentarmos melhor, mas só de vivermos em espaços mais eficientes já significa um aumento razoável de produtividade.

Um desses aspectos que ajudam bastante na melhoria do ser humano nos espaços é tratar com vistas de qualidade.

O QUE ISSO SIGNIFICA?

Significa criar vistas que conectem as pessoas em uma edificação com ambientes externos.

A conexão visual de de edificações ajuda na execução de tarefas diárias, deixam as pessoas mais felizes e melhora a produtividade, sendo uma alternativa para evitarmos períodos prolongados em nossos computadores e ajudando a evitar doenças como a tensão ocular.

Em hospitais, proporcionar visuais de conforto ajuda pacientes a reduzir o estresse, a utilização de medicamentos e até acelerar o processo de recuperação.

Um dos benefícios mais importantes é reforçar os nossos ritmos circadianos, que é o período biológico que todos os seres vivos possuem, e que nós geramos por centenas de milhares de anos de nossa evolução.

É muito importante mantermos ao máximo este ciclo (isso se você estiver projetando na Terra, em Marte não precisa). Sua interrupção pode levar a problemas de saúde a longo prazo, incluindo transtornos mentais.

Projetar para garantir vistas de qualidade envolve considerar a orientação de edifício, a implantação, a fachada e disposição dos ambientes internos.

PODEMOS REALIZAR ISSO DE ALGUMAS FORMAS:

  • Pensarmos na implantação localizando pontos visuais interessantes.
  • Criar uma amplitude visual, ampliando ao máximo o campo de visão para janelas.
  • Trabalhar com elementos vivos nas áreas externas e proporcionar o contato das pessoas de dentro da edificação para fora, como flora, fauna, céu, objetos ou mesmo pessoas.
  • Eliminar o máximo de obstruções visuais, incluindo divisórias.
  • Evitar vidros com serigrafias, pinturas ou elementos que distorçam as cores dos vidros ou mesmo bloqueiem a visão para fora.

Hoje você aprendeu sobre vistas de qualidade. Um grande abraço.

Estamos Projetando em Alta Performance?

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

[iframevideo] [/iframevideo]

Qual problema você está disposto a resolver com sua arquitetura?

No livro ‘Por uma Arquitetura’, Le Corbusier cria relações da arquitetura com automóveis e aviões. Ele cria uma célebre frase:

“O Avião nos mostra que um problema bem colocado encontra sua solução”.

O avião evoluiu drasticamente na época da primeira e segunda guerra mundial, e a motivação era simples: ou o avião evoluía, ou os países perderiam a guerra e muitas pessoas morreriam. Essa é uma boa motivação, certo?

Quais são os problemas que precisamos resolver com nossos projetos? Hoje possuímos certamente mais problemas do que nossos arquitetos antepassados. Precisamos:

  • Trabalhar em forma e função
  • Atender as necessidades dos clientes
  • Trabalhar com a racionalidade máxima de elementos pelo BIM
  • Utilizar materiais sustentáveis e ter a certeza de que eles são realmente sustentáveis
  • Trabalhar na eficiência energética
  • Pensar na qualidade interna dos ambientes
  • Criar uma relação consistente do projeto com o entorno
  • E…se possível…deixar o projeto bonitinho.

A maioria de nós arquitetos saímos da faculdade com a idéia de que podemos atuar em qualquer tipo de projeto. Hospitais, hotéis, edifícios, escolas, aeroportos e muito mais. Maravilhoso, certo? Se Oscar Niemeyer podia, nós também podemos!

Mas será que isso é bom? Bom para os nossos clientes? Bom para a nossa carreira?

 

Bonus em PDF: Este Artigo possui 820 palavras. Clique para fazer o download completo em PDF desta lição, para que você possa ler melhor depois.

Será que, para atingirmos a excelência e trabalharmos com projetos altamente sustentáveis e atingindo a maior performance possível, não precisamos nos especializar em um único tipo de projeto?

Imagine 2 cenários.

Cenário 1

Você é um arquiteto que trabalha com todos os tipos de projeto. Seu último projeto foi uma residência contemporânea e de repente surge um cliente que necessita de um projeto de interiores estilo neoclássico.

Você não gosta muito, mas vamos dizer que você fechou o projeto. Você vai atrás de todos aqueles detalhes de colunas, cornijas e frontões. Mas como você nunca trabalhou nesse tipo de projeto – e nem gosta muito – você não acertou tão bem assim as proporções. O trabalho de gesso não ficou lá grandes coisas. Mas você vai levando…

Então surge uma proposta de uma escola. Se você pegou um projeto de interiores neoclássico, não vai querer perder a escola, certo? Você então inicia a análise de todas as normas relacionadas a esta escola.

  • Qual a chance de você atender 100% bem todas essas tipologias arquitetônicas e o seu cliente?
  • Como é o esforço que você possui para fazer uma boa arquitetura, utilizando todas as estratégias para criar uma edificação de referência, além de, é claro, a legislação que é um drama por si só, pois cada cidade é de um jeito?
  • Ainda, qual a chance de você cobrar um bom valor do cliente, sendo que ele sabe que você não é um especialista?

Cenário 2

Você é um arquiteto especialista em Edifícios de Escritórios. Você conhece como é o trabalho com edifícios em diversas cidades brasileiras, conhece as diferenças legislativas e todos os problemas que podem ocorrer.

Sabe que em diversas cidades brasileiras edifícios com mais de 5.000 metros quadrados precisará de um RAP, conhece as diferenças para as normas de bombeiros para alturas específicas de edificações. Você conhece os entraves da aprovação e sabe como trabalhar com diversas estratégias sustentáveis aplicáveis para esse tipo de edificação.

Como consequência, não necessita estudar questões que não são importantes para este tipo de projeto, como por exemplo materiais de arquitetura hospitalar, programa de projeto para aeroportos, e outras análises que tomam muito tempo, e consequentemente dinheiro.

Como uma analogia, na área médica os médicos atuam de forma mais parecida com esta segunda opção. Existem neurocirurgiões, proctologistas, oftalmologistas e todo o tipo de especialidade que transforma cada um desses profissionais em especialistas.

  • Valoriza-se mais a profissão e existe uma tendência maior de obter maior rentabilidade por projeto pela obtenção de melhores clientes.
  • Em contrapartida, se um cliente quer uma casa, ele provavelmente não vai te procurar, afinal você só trabalha com edifícios de escritórios. Assim como um cliente que quer um hospital, ou uma escola, ou até mesmo um edifício residencial.
  • Você tem chance de se tornar um especialista em um nicho, mas perde todos os outros.
  • No entanto, você possui a chance de criar processos e procedimentos que te levariam a uma performance muito superior do que trabalhando com todos os segmentos possíveis.

Perguntas

Considerando a crise e esse processo de reposicionamento de carreira que todos nós, independente de escala de nossos escritórios, estamos enfrentando, o que você acredita ser a melhor solução?

Considerando que devemos trabalhar visando a alta performance em nossa arquitetura, será que não estamos nos enganando, dizendo que conseguimos projetar bem e trabalhar com profundidade em estratégias sustentáveis, para qualquer tipo de projeto?

Deixe seu comentário. Grande abraço.

 

Bonus em PDF: Este Artigo possui 820 palavras. Clique para fazer o download completo em PDF desta lição, para que você possa ler quando quiser.

 

Algoritmos na Arquitetura

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

O Que São Algoritmos na Arquitetura?

[iframevideo] [/iframevideo]

Você gosta de chá?

Quem não gosta, certo?

Então vamos dizer que você resolva fazer um chá de camomila para relaxar depois de um dia cheio de trabalho.

Se você já fez um chá, você conhece como é o processo.

Os ingredientes são:

  • Uma xicará.
  • Uma água.
  • Um sachê.

Você esquenta a água, coloca o sachê, e pronto. O chá de camomila está pronto.

Como você sabe, existe uma fórmula para se fazer um chá. Um processo que pode ser repetido…e sempre quando você o fizer, uma vez, duas, mil vezes….você terá um chá.

Mas houve um problema. Você não percebeu, mas escolheu um sabor errado. Você sem querer fez um chá com o sabor de hortelã ao invés do chá de camomila.

Você agora possui duas escolhas:

  1. Uma é você tomar o chá de hortelã e esquecer do chá de camomila.
  2. Outra é jogar fora todo o chá de horrelã e fazer o chá de camomila.

Mas se você é como Marty Mcfly, você teria outra possibilidade. Você poderia pegar o seu Delorean e voltar no tempo. Quando você chega no passado, você apenas grita da janela para você mesmo 5 minutos mais novo:

“- Presta atenção e pega o sachê de camomila!”

Você volta para o presente e tem um chá de camomila quentinho esperando por você.

Mas….e se você pudesse fazer mais do que um simples chá…e pudesse utilizar esse poder para seus projetos de arquitetura?

HOJE VOCÊ IRÁ APRENDER SOBRE ARQUITETURA POR ALGORITMOS. O QUE VOCÊ DESCOBRIRÁ:

  • O que é isso.
  • Algumas possibilidades.
  • Programas que permitem realizar esses passos.
Bonus em PDF: Este Artigo possui 1.598 palavras. Clique para fazer o download completo em PDF desta lição, para que você possa ler melhor depois.

Elementos paramétricos estão se tornando cada vez mais parte da arquitetura, demonstrando possibilidade de marcar as próximas décadas de forma bastante impactante.

A indústria da construção busca na grande maioria das vezes o máximo resultado com o mínimo de recursos, promovendo uma racionalização industrial, linhas predominantemente retas e a economia de elementos. A complexidade arquitetônica é considerada inúmeras vezes inviável pela dificuldade do raciocínio espacial nessa concepção e na sua posterior transição para a construção. Nossos projetos são realizados por linhas ou elementos estáticos, resultante de linhas de comando que, quando são colocadas no papel ou no computador, não são feitos para sofrerem mutação.

Um exemplo…quando você desenha uma parede, ela está no eixo x, y e z, e quando você move essa parede no seu projeto, você necessita invariavelmente alterar outras paredes para que o projeto se torne algo funcional e harmônico. Então sua mente consegue pensar nessa complexidade até um certo limite, e é por isso que sistemas complexos demais não são bem vindos, pois dificultam as alterações no desenvolvimento de um projeto que acontecem em 90% das vezes, e também podem gerar riscos aos custos e ao cronograma de uma construção.

Como resultado a pratica da arquitetura é um reflexo direto desse modus operandi que busca a simplificação. Apesar de possuirmos ao nosso dispor o bom e velho croqui, que facilita a intuitividade da criação, o desenvolvimento do projeto final é geralmente elaborado em plataformas vetoriais como o Autocad, passando pelos benefícios das plataformas 3D e de forma mais comum hoje por BIM.

Essas plataformas geram benefícios imensuráveis aos nossos projetos, pois sistematiza e comunica de forma universal o projeto para todos os envolvidos, mas em contrapartida perde-se uma parte do âmbito criativo, afinal o arquiteto torna-se querendo ou não refém das limitações de cada plataforma como elas foram programadas pelos seus desenvolvedores. Existe sempre uma grande distância do lampejo criativo do que pode ser executado de fato, principalmente em plataformas mais arrojadas, mas mais “travadas” como o BIM.

O QUE É

A parametrização de elementos arquitetônicos, ou também a chamada de arquitetura por algoritmos, vem nos auxiliar para nos levar muito mais longe na concepção e desenvolvimento de nossos projetos, alinhando a complexidade a uma linguagem cada vez mais aceita no mercado. O abstrato e o preciso se tornam mais próximos, e sua criatividade pode ir ainda mais longe do que sua própria imaginação com o auxílio de algoritmos.

Parametrização é uma aproximação matemática para a arquitetura, elaborada por meio de algoritmos. Resumindo, é uma programação do seu raciocínio de projeto. Junte ele e sua intenção arquitetônica e você pode criar uma “fórmula” para seu projeto ou elemento arquitetônico, que pode ser vista, analisada e revisada tanto no começo quanto no final do processo, gerando inúmeras possibilidades, e o mais importante, sem retrabalho. Diferente do que acontece hoje…que é que se uma mudança ocorre, ocorre também um grande retrabalho.

Aqui nós podemos brincar a vontade com o “e se”? E se o edifício possuísse 11 pavimentos? E se cada pavimento possuísse ele tivesse três metros e quinze ao invés de três metros? E se o edifício rotacionasse 2 graus por pavimento? Como seria a estrutura, como seria o conforto térmico, como seria a construtibilidade desses elementos? Você poderia analisar essas questões com muito mais facilidade.

torre evolutiva
Torre evolutiva. Por soma architects.

 

Finalizando essa programação de projeto, seus parâmetros poderiam ser modificados com facilidade, transformando o projeto em um “organismo vivo” resistente as diversas mudanças que o projeto geralmente sofre em seu desenvolvimento. Elementos que fazem parte do raciocínio de projeto, como áreas, pavimentos, detalhes de envoltória, todos podem ser revistos. Se, por exemplo, possuímos um código de lajes curvas e complexas que resultam em vigas de 60cm mas o projeto estrutural foi modificado para 65cm, o parâmetro pode ser ajustado com um único comando, modificando automaticamente todas as partes relacionadas.

POTENCIALIZANDO O RACIOCÍNIO COM PLUGINS

É possível instalar “plugins” dentro desse seu raciocínio de projeto programado para otimizar uma abertura de janela perfeita para a quantidade de lux em cada ambiente do edifício…e se ele rotacionar 1 grau, ele é re-analisado novamente, e se rotacionar 2 mais uma vez, e assim por diante.

Os programas mais utilizados nessa programação mais avançada é o Grasshopper, que hoje possui integração com o Archicad, e em segundo lugar o Dynamo que possui integração com o Revit. Ambos os programas possuem suas particularidades e estão ficando cada vez mais compatíveis com metodologias de projeto mais conservadoras.

O conceito da parametrização se torna possível hoje por consequência da convergência tecnológica, cujos os fatores principais são o desenvolvimento da tecnologia de processadores que permitem tais cálculos, a evolução dos sistemas de corte CNC e a computação na nuvem. A viabilidade do sistema é obtida com a transferência segura dessas informações para a aplicação na indústria e a posterior construção, possibilitando programar tudo até mesmo para uma separação em partes ou mesmo a impressão em 3D.

 

algoritmos
Demonstração do uso do Plugin DIVA para análise da luz natural.

 

UMA RE-REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A parametrização não é um contraponto para a racionalização da industria. É na verdade uma evolução desse pensamento industrial, que leva esse raciocínio para um novo patamar procurando se aproximar mais com o ser humano e suas exigências, atendendo de forma mais profunda questões como o conforto térmico, ambientes personalizados e a sustentabilidade.

Existe a vantagem de aceitar a inserção de variáveis geralmente muito complexas para serem considerados em projetos usuais, possibilitando embutir nesse código elementos reativos a simulação energética, ensaios de iluminação, melhores visuais, análise estrutural e a racionalidade construtiva quase que em tempo real, e de forma simultânea.

Um brise por exemplo pode até mesmo ser calculado levando em consideração todo o ambiente ao redor e selecionados individualmente conforme seleção natural por meio de milhares de cálculos até o encontro da melhor solução, da mesma forma que um peixe encontrou sua forma atual em sua evolução por meio de um processo contínuo relacionado as variações do ambiente natural, como densidade da água, espécies locais e predadores em potencial.

Algoritmos devem estar longe de ser tratados como mero formalismo. Eles ajudarão cada vez mais arquitetos a levar seu design para mais longe, sistematizando de uma forma única e otimizada um processo predominantemente industrial. Como resultado teremos soluções mais adequadas, exaltando nossas questões individuais em um mundo onde as diferenças estão sendo cada vez mais aceitas.

É mais um passo na transição da era da Produção em Massa para a Customização em Massa, em que termos a liberdade de criar produtos personalizados para qualquer pessoa com as facilidades que a indústria nos fornece, sem precisar perder essas qualidades.

Fique livre para para fazer o download completo em PDF desta lição, para que você possa ler melhor depois.

Recursos Gratuitos em Construções Sustentáveis para Assinantes

Nossos Melhores Ebooks e Artigos para Download Gratuito

ACESSO A AULAS GRATUITAS EM CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Inscreva-se nas melhores aulas ao vivo em construções sustentáveis da internet.

BIBLIOTECA DE CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Insira seus dados para acessar a biblioteca imediatamente logo abaixo.

 

OBRIGADO! APROVEITE!

 

telhado verde

algoritmos na arquitetura

performance_arquitetura